Compartilhe

Multilaser MS70

 

Em fevereiro de 2017, a Multilaser lançou no Brasil o seu novo smartphone de linha média, o Multilaser MS70. O modelo chamou a atenção de muitos usuários por se propor a ser um smartphone de linha média, com hardware equilibrado e relação custo-benefício interessante.

Em um mercado intermediário que se apresenta muito competitivo nesse primeiro terço de 2017, com vários lançamentos dos principais fabricantes do setor, a Multilaser se aventura em um mar de tubarões. Prioriza a boa experiência de uso para as atividades mais básicas. Porém, será que consegue chegar no mesmo nível de excelência de modelos de fabricantes com maior visibilidade?

Nos números, o Multilaser MS70 oferece um pouco mais do que alguns dos seus principais concorrentes de preço. Mas… números são tudo no mercado de tecnologia? Ou o que manda é o teste prático, o uso no dia a dia?

Vamos começar a responder essas e outras perguntas, no review a seguir.

 

Review em Vídeo

 

 

 

Características Físicas

 

 

O Multilaser MS70 é um dispositivo discreto nas suas linhas. Tem um acabamento em plástico que já é tradicional nos modelos da empresa, passando um ar de sobriedade que também é algo peculiar da marca.

É um modelo relativamente fino, com uma leve curvatura na parte traseira, o que ajuda no agarre do dispositivo com uma das mãos.

 

 

Além disso, a Multilaser soube aproveitar bem as dimensões do smartphone para integrar uma tela de 5.85 polegadas em um corpo que é apenas um pouco maior do que um dispositivo com 5.5 polegadas. Esse ponto é uma vantagem para um uso mais prolongado com uma das mãos.

 

 

Um detalhe peculiar das suas características físicas é a presença desse botão dedicado para acionar o obturador de câmera. Diferentes de outros dispositivos que contam com o mesmo botão, no Multilaser MS70 ele não serve para acionar a câmera com a tela do dispositivo bloqueada. Somente se a tela estiver ligada.

Um erro, já que o tal botão deveria servir também para agilizar a vida do usuário no acionamento da câmera.

De qualquer forma, é um modelo com linhas simples e sóbrias, o que não desagrada. Pode não ter nada visualmente chamativo, mas não desaponta nesse aspecto.

 

 

Acessórios

 

 

A Multilaser oferece pelo menos um bom diferencial em alguns dos seus dispositivos: acessórios para proteger o produto desde o primeiro dia de uso.

O Multilaser MS70 vem com três capinhas de silicone, que protegem o smartphone em caso de quedas, além de uma película protetora para a tela.

É uma certa atenção que a marca dedica aos seus clientes. Outros fabricantes não pensam nisso como norma. E seria ótimo se a maioria apostasse na oferta de acessórios originais nos kits de venda do produto.

 

Tela

 

 

O Multilaser MS70 possui uma tela TFT LCD de 5.85 polegadas (1920 x 1080 pixels), que é mais que suficiente para visualizar de forma confortável todos os elementos do sistema operacional, além de permitir uma boa apreciação de fotos, vídeos e games.

Sua interação com os elementos do sistema operacional melhorou muito em relação a outros modelos da marca, com toques mais precisos, entregando assim uma melhor experiência de uso.

É uma tela um pouco maior do que a maioria dos seus concorrentes de preço, mas só é um fator realmente relevante se você busca a maior tela possível em um smartphone para ver vídeos, mas não quer ter que andar com um tablet no bolso.

 

 

Hardware e Software

 

O Multilaser MS70 possui um processador MediaTek MT6753 octa-core de 1.3 GHz, acompanhado de GPU Mali-T720, 3 GB de RAM e 32 GB de armazenamento (expansíveis via microSD – o telefone já vem com um cartão de 32 GB).

Numericamente, está um nível acima de boa parte dos seus concorrentes. Porém, esse conjunto de hardware é um pouco inferior ao que alguns concorrentes entregam em dispositivos na mesma faixa de preço.

Mesmo aqueles smartphones que contam com apenas 2 GB de RAM conseguem oferecer uma performance mais promissora, por conta principalmente do conjunto de hardware que fica abaixo do que os modelos com processadores Qualcomm Snapdragon 625 oferecem hoje, e por preços muito similares.

No software, o smartphone conta com o sistema operacional Android 6.0 Marshmallow em seu estado quase puro. Apenas alguns aplicativos foram pré-instalados pelo fabricante. Design e funcionalidades se mantém praticamente intactos.

Se por um lado temos o lado positivo de ter uma proposta do Android tal e como a Google originalmente concebeu, o que significa um menor consumo de recursos, por outro lado temos uma versão desatualizada do sistema operacional, e sem qualquer previsão de atualização para o Android 7.0 Nougat por conta do fabricante.

 

 

Câmera

 

 

Apesar de, teoricamente, contar com sensores com números similares aos da concorrência (13 MP na câmera frontal, 8 MP na câmera traseira), o Multilaser MS70 entrega resultados de fotos apenas razoáveis.

Na câmera traseira, a qualidade das imagens é apenas mediana em diferentes condições de luz, até mesmo em luz artificial e baixa luminosidade. Já o sensor frontal consegue entregar fotos com aparência de “lavadas” (ou esbranquiçadas) até mesmo no registro em luz natural.

 

 

Nem mesmo por software é possível obter grandes ganhos na melhoria de imagem, apesar de até contar com alguns ajustes e recursos específicos.

Aliás, o software de câmera, além de ser um dos mais simples do mercado, grava os vídeos na extensão .3gp, um formato reduzido para facilitar o envio do arquivo para as redes sociais. Por outro lado, tal escolha representa perda na qualidade final da imagem, o que pode incomodar alguns usuários mais exigentes.

Ou seja, são câmeras que ficam bem abaixo dos seus principais concorrentes de preço. Se você gosta de tirar fotos, mesmo que de forma casual, repense sua escolha umas dez vezes antes de realizar o investimento.

 

 

 

Bateria

 

 

O modelo conta com uma bateria de 3.000 mAh, que entrega uma autonomia de pelo menos um dia completo de uso, que é o mínimo que pedimos de um smartphone de linha média nos dias de hoje.

Por outro lado, o modelo não possui carregador com modo de recarga rápida. Logo, comece a se preparar para alimentar essa bateria durante as madrugadas, e seja prudente. Caso contrário, seu smartphone vai desligar antes do final do dia.

De qualquer forma, deve atender bem a maioria dos usuários casuais e menos exigentes.

 

 

Desempenho

 

Por conta do seu já citado conjunto processador + GPU + armazenamento + RAM, o Multilaser MS70 tem um desempenho apenas razoável.

Para os usuários mais casuais, que querem um smartphone Android como backup, ou para quem não quer pagar a mais para ter as mesmas funcionalidades mais básicas que um modelo mais completo poderia oferecer, esse modelo atende bem as necessidades. Funciona sem maiores problemas, lags ou travamentos.

Já para aqueles que gostam de rodar vídeos armazenados no smartphone, gostam de jogar games um pouco mais pesados, ou para quem quer extrair um pouco mais do dispositivo em diferentes aspectos, entenda: ele não foi feito para você, pois ele vai ter um desempenho abaixo do que você espera.

Existem modelos na mesma faixa de preço ou um pouco mais caros que entregam um desempenho mais promissor, mesmo contando com apenas 2 GB de RAM.

Até porque o fundamental é ver o que o fabricante fará com a combinação hardware + software do dispositivo, o que reforça a tese: números não representam nada no mundo da tecnologia móvel.

 

 

Conclusão

 

 

O Multilaser MS70 até apresenta melhoras pontuais em relação a outros modelos que já testei com a marca, mas ainda está pelo menos um ou dois degraus abaixo dos seus principais concorrentes de preço.

Ele chegar ao mercado custando R$ 1.399 e só depois reduzindo seu valor de venda para R$ 1.199 (é possível encontrar o modelo por menos, dependendo do e-commerce escolhido para a compra) pode ter custado caro para o seu sucesso no mercado.

Dois meses depois do lançamento, além de ser obrigado a vender o modelo por um valor menor do que o inicialmente planejado, testemunhou alguns dos seus concorrentes oferecerem a mesma coisa (ou até um pouco mais) pelo mesmo valor.

Vide o Quantum MUV UP a R$ 1.099.

E isso porque eu não estou falando do Moto G5 e do ASUS Zenfone 3 Max, que pode ser encontrado por menos de R$ 1.000.

É preciso ser fã da Multilaser para comprar o MS70 sem pensar duas vezes. Fato.


Compartilhe