Um dos grandes trunfos da série de smartphones Moto Z da Motorola é a sua modularidade. Expandir as capacidades de uso era algo fundamental para agregar valor ao dispositivo, e os Moto Snaps aparecem como alternativas para aqueles que buscam um algo mais de funcionalidades nos seus smartphones.

Um dos Moto Snaps mais recentes no mercado brasileiro é o Moto Snap Gamepad. Lançado no segundo semestre de 2017, ele promete transformar o smartphone em um videogame portátil, com controles físicos e botões que melhoram o desempenho dos gamers mais viscerais.

Testei o Moto Snap Gamepad por alguns dias, em parceria com o Moto Z2 Play fornecido pela própria Motorola. Nesse review, eu conto as minhas impressões sobre o produto, sempre buscando identificar se o acessório é útil para o seu público alvo principal: os gamers.

Lembrando sempre que esta avaliação foi feita por alguém que não é um gamer visceral, mas que gosta de jogar eventualmente no celular e em videogames domésticos.

 

 

Review em Vídeo

 

 

 

 

Características Físicas

 

 

O Moto Snap Gamepad, como boa parte dos Snaps da Motorola, é grande. E, como boa parte dos Snaps, deve ser utilizado especificamente para aquele momento em que ele se faz necessário, ou destinado para aquela finalidade. Logo, é inviável transportá-lo o tempo todo no bolso acoplado ao telefone ou até mesmo em separado. A melhor forma de transportar esse Snap de grandes dimensões é mesmo em uma mochila.

 

 

Dito isso, é um acessório com boa qualidade de construção. Os sticks analógicos são de plástico fosco, assim como o direcional em cruz e os botões Home, que por sua vez são em plástico brilhante. A maior área de contato do material com as mãos é em plástico fosco preto, o que reduz consideravelmente as chances de aparecerem marcas de uso com o passar do tempo.

 

 

Os botões de comando superior frontal contam com indicadores luminosos de atividade, que funcionam de acordo com o jogo escolhido. Há dois botões de comando adicionais na parte superior, complementando a jogabilidade em games mais complexos. Na parte traseira, o logo também conta com um sistema de iluminação, deixando um resultado visual agressivo e alinhado com a filosofia gamer do acessório.

 

 

Na parte interna, não há qualquer tipo de proteção tecido para evitar a abrasividade do contato do smartphone com o acessório. Isso pode incomodar alguns usuários mais exigentes, que pensam no atrito de materiais que podem resultar em riscos na carcaça traseira do telefone (dependendo do modelo utilizado).

 

 

Na parte inferior, temos o conector 3.5 mm para fones de ouvido, e o conector USB Type-C, para recarga de sua bateria interna. Você não apenas pode recarregar a bateria do Moto Snap Gamepad, mas se o smartphone também estiver acoplado ao acessório, poderá recarregar a bateria do telefone. E seguir jogando, se assim preferir.

 

 

O produto em funcionamento

 

 

Instalar o Moto Z2 Play no Moto Snap Gamepad é algo bem fácil. Basta acoplar o telefone de modo que os conectores magnéticos fiquem encaixados. Facilita e muito o fato desses conectores não apenas contarem com os pinos de comunicação de dados, mas também por estar disponível em uma área magnética ampla para esse contato físico com as duas peças.

Ao instalar o Moto Snap Gamepad, o smartphone automaticamente identifica o acessório, e oferece algumas dicas de utilização e configuração. A partir daí, basta você escolher o jogo de sua preferência, e iniciar a diversão.

Em alguns títulos, o acessório é automaticamente identificado, dispensando qualquer tipo de configuração adicional. É o caso do Real Racing 3, jogo que entregou a melhor experiência de uso nesse aspecto. Os sticks analógicos melhoraram a curva de desempenho do jogo, deixando a jogabilidade muito melhor.

 

 

Em outros títulos, o Moto Snap Gamepad é simplesmente desnecessário. Como é o caso de Subway Surfers. É o tipo de jogo que a interação com o toque na tela é fundamental para se obter a plena jogabilidade, e os controles físicos não geram efeito algum. Algo semelhante é no caso de Jetpack Joyride, onde você substitui o toque na tela pelo toque em um botão físico. Nesse caso, você ainda ganha a visualização dos elementos em toda tela, sem ter um dedo te atrapalhando em alguns momentos.

Em alguns jogos, o Moto Snap Gamepad precisa ser configurado manualmente, o que pode incomodar aos usuários menos experientes. Foi o caso de Dead Trigger 2, onde todos os botões e controles precisaram passar por uma calibração prévia antes do jogo em si começar. Nem sempre isso é algo muito agradável, porém, isso não é culpa do acessório, mas sim do desenvolvedor do jogo.

De qualquer forma, é preciso ter em mente que os casos variam muito. Cada jogo terá um comportamento de configuração diferente, e é preciso então ter uma certa dose de paciência para lidar com cada um dos casos e, dessa forma, extrair a melhor experiência possível com o acessório.

Durante o período de testes, o Moto Snap Gamepad atendeu muito bem as minhas necessidades de jogo, mesmo no meu caso, que sou um gamer mais casual. Os controles são confortáveis, os botões oferecem um ótimo tempo de resposta, e a jogabilidade melhorou consideravelmente, especialmente em jogos onde os sensores de movimento do smartphone são preponderantes para a jogabilidade do game. Contar com os sticks analógicos é algo muito mais produtivo e funcional do que ficar virando o smartphone de um lado para o outro.

Por fim, recomendo manter a bateria do Moto Snap Gamepad sempre carregada, para que o acessório utilize a sua bateria interna, e não a do smartphone. Caso contrário, ele simplesmente drena a bateria do seu telefone, e você terá uma autonomia de uso consideravelmente menor.

 

 

Como acessório de entretenimento, o Moto Snap Gamepad está aprovado. Entregou resultados melhores do que eu esperava, é um item bem confortável, e os gamers mais exigentes poderão extrair ótimos resultados com esse produto. Talvez o seu preço elevado pode espantar um pouco aqueles que aspiram ter o acessório para o seu Moto Z. Mas para quem pensa em comprar um smartphone modular da Motorola e gosta do universo dos games, a dica é comprar o telefone já com esse módulo.

Não apenas pela economia feita, mas também porque a relação custo-benefício se paga de forma sustentável para esse investimento.