Viver em Florianópolis significa viver na capital brasileira com pior mobilidade urbana. Sério, a única coisa que une ilha ao continente é uma ponte (já que a ponte Hercílio Luz está em reforma há – pasmem – 30 anos, e sabe lá Deus quando essa reforma vai terminar). E até mesmo o deslocamento dentro da ilha é algo bem complicado, levando em consideração que, em muitos lugares, todos precisam passar pelo mesmo lugar.

Eu não tinha gastos de transporte na cidade de Ponta Grossa (PR) porque eu morava no centro, e a maioria dos lugares para onde eu precisava ir estão no centro. Já em Floripa, a coisa é diferente: em pelo menos um dos meus locais de ensaio eu preciso me deslocar a uma distância de 10 km, sem falar em outros estabelecimentos, shoppings e locais na ilha onde o deslocamento leva algum tempo e a distância me obriga a pegar um ônibus ou um Uber.

Aproveitando o momento onde muita gente por aqui está pensando em mobilidade urbana, eu achei que seria uma boa ideia resolver o meu problema com uma scooter elétrica. Depois de pesquisar um bocado na internet, eu encontrei a E-Bike Bicicleta Elétrica Enjoy da Mymax, uma scooter que caiu no meu agrado pelo formato e versatilidade. Também me interessei pelo produto por causa de suas características técnicas que prometiam atender as minhas necessidades de deslocamento.

Nesse review, eu relato a minha experiência com o produto, revelando para quem ele realmente é indicado, e se o mesmo cumpre o que promete.

 

 

Antes de começar…

 

 

Eu adquiri a E-Bike Bicicleta Elétrica Enjoy da Mymax via Americanas.com, que atuou como intermediária da Mymax na venda. Fiz a compra no dia 10 de janeiro de 2019 e recebi o produto no dia 17 de janeiro de 2019. Nesse aspecto, nada a reclamar, pois a data estimada para a entrega do produto era para o dia 29 de janeiro de 2019.

Eu não fiz o registro do unboxing como eu sempre faço porque não tinha naquele momento a ideia de fazer o registro de um novo review para o TargetHD.net. Adquiri o produto com o objetivo final de uso pessoal, mas como constatei que existem poucas informações sobre o mesmo (ou melhor, poucos feedbacks de usuários relatando a experiência com ele), eu decidi deixar o meu relato para ajudar outros usuários.

 

 

Sobre o processo de montagem, ele é bem simples. A E-Bike Bicicleta Elétrica Enjoy da Mymax vem pré-montada, com poucas peças que precisam ser conectadas. Na verdade, apenas os dois pedais paralelos e o assento (certifique-se que vai deixar esse assento bem preso; se possível, use outra chave de sua preferência, e não aquela que vem com o produto, pois ela é muito desconfortável para realizar o giro do parafuso).

Você não gasta mais do que 20 minutos para desembalar e montar as peças que faltam da scooter, mas de acordo com as especificações técnicas do fabricante, é preciso deixar a bateria do produto carregando pela primeira vez por pelo menos cinco horas. O ideal é deixar na primeira recarga de um dia para outro para só depois começar a usar.

 

 

Design e Características Físicas

 

 

Enquanto eu pesquisava sobre o produto, eu sempre tive a impressão que a E-Bike Bicicleta Elétrica Enjoy da Mymax era pequena. E, na prática, ela é pequena mesmo. Porém, a sua estrutura de alumínio a torna resistente e leve (apenas 12 kg), e a sensação de ser pequena ou frágil desaparece logo no primeiro contato. É um produto leve para o deslocamento, mas relativamente pesado para subir escadas e colocar em um porta malas de um carro. Mas ainda assim é bem mais prática e leve do que levar uma bicicleta comum para um passeio.

 

 

O produto é de ótima qualidade de construção, algo que até me surpreendeu. Poucas peças são de plástico, e tudo aparenta estar bem fixo e bem montado. Apesar de já chegar até mim com os pneus cheios, eu entendo que é interessante conferir a calibragem desses pneus, pois isso fará uma diferença enorme no uso do produto no dia a dia.

 

 

A E-Bike Bicicleta Elétrica Enjoy da Mymax só tem um ponto de dobra, que é no cano do guidão. Uma alavanca destrava o sistema de sustentação para realizar a dobra do produto. Um tanto quanto complicado nos primeiros usos, e não é tão fácil para destravar quanto parece. Mas com o tempo você vai pegando o jeito, e montar e desmontar a bicicleta se torna algo mais prático e simples.

 

 

Os pneus aparentam ser de boa qualidade, com construção bem rígida. Não parece que esses pneus podem ter o mesmo problema que muitos usuários do patinete Xiaomi M365 reclamam.

 

 

Então, depois de cinco horas recarregando a bateria, é hora de dar a primeira volta. A primeira de várias voltas.

 

 

O Produto Em Uso, Na Prática

Aqui, é preciso entrar em detalhes sobre o seu funcionamento e alguns aspectos técnicos antes de definir se a E-Bike Bicicleta Elétrica Enjoy da Mymax é uma boa compra ou um péssimo negócio. E uma coisa eu posso garantir para você: por mais que eu pesquisasse sobre o produto na internet, as informações nunca foram claras o suficiente. E isso fez toda a diferença no resultado final da experiência.

A E-Bike Bicicleta Elétrica Enjoy da Mymax possui um motor de 350W acoplado na roda traseira, e o produto não tem pedais para pedalada. Logo, se encaixa mais como uma scooter do que como uma bicicleta elétrica. E isso é importante para a experiência de uso do produto.

 

 

São três modos de velocidade: o econômico (15 km/h máximo), o normal (18 km/h máximo) e o turbo (25 km/h máximo). Cada um desses modos afeta decisivamente na velocidade (óbvio) e na autonomia de bateria do produto.

Mas um fator muito importante na equação da experiência de uso é o peso da pessoa que vai andar na scooter, e esse é um ponto onde praticamente todos os e-commerces e vendedores particulares estão errando, pois são poucos os que deixam claros que os resultados prometidos com o produto só são alcançados no que eu considero como “o mundo perfeito”.

 

 

O que é o mundo perfeito da E-Bike da Mymax?

De acordo com o fabricante, essa scooter elétrica é capaz de entregar uma autonomia de bateria de até 15 km por recarga. Quando eu adquiri o produto,  eu achei que isso era o suficiente para a minha rotina diária (eu me desloco até 10 km, coloco a bicicleta para carregar durante as 3 horas de ensaio de coral que eu faço, e volto para casa sem maiores problemas). Mas isso, na teoria.

As letras miúdas do pobre manual de instruções fornecido pela Mymax advertem que os tais 15 km de autonomia de bateria são alcançados nas seguintes condições:

– Velocidade média de 15 km/h
– Trajeto plano, sem subidas ou descidas
– Sem vento contrário
– Usuário com peso de 75 kg

Ou seja, “o mundo perfeito”.

Para alguém como eu, que pesa 95 kg, esse mundo perfeito simplesmente não existe.

 

 

Os Efeitos Colaterais

 

 

Olhando para a minha condição de adulto, quase 40 anos, gordo e pesando 95 kg, a E-Bike Bicicleta Elétrica Enjoy da Mymax não é o produto mais recomendado. Mas, de novo, eu vou por partes para explicar o meu ponto.

Na prática, todos os três modos de potência do motor elétrico funcionam, inclusive para um cara pesado como eu. Atingi as respectivas velocidades no plano sem maiores problemas. Aliás, atingi velocidades maiores na descida, alcançando os 35 km/h nominais (mas não de potência real, pois o motor é limitado aos 25 km/h). Nesse aspecto, o produto cumpre o que promete, inclusive quando utilizado por um adulto.

Porém, lembra do que eu falei da relação do peso com a autonomia de bateria? Pois é. As coisas se complicam nesse aspecto.

 

 

Como eu peso 95 kg e o motor de 350W fica na roda traseira, ele precisa fazer mais força para me carregar. Se por um lado ele entrega a velocidade prometida, para alcançar essa velocidade, ele vai precisar puxar mais peso. Agora, some com os gadgets que eu carrego (notebook, tablet e Kindle) mais a pasta de coral cheia de partituras, e eu esbarro nos 100 kg de peso que esse motor precisa puxar.

Logo, é mais do que natural que o produto não consiga nunca entregar 15 km de autonomia de bateria. No modo econômico, ele entregou no máximo 10 km e, ainda assim, fez isso a uma velocidade de 15 km/h. E, para as minhas necessidades, isso é apenas um passeio. É totalmente inviável para o meu deslocamento.

O mínimo que eu poderia aceitar (e aceitei, porque foi a única forma de fazer os 10 km de distância e esbarrando – a bateria acabou faltando quase 300 metros para o meu destino) era o modo normal, com velocidade média de 18 km/h. Levando em consideração que, nas ciclovias e ciclofaixas (os trechos que eu mais trafego durante os trajetos), a velocidade máxima permitida por lei são os 20 km/h, eu aceito isso, sem maiores problemas.

 

 

Na rua, os 25 km/h também são alcançados com competência no plano, e essa é uma boa velocidade para andar nas ruas, junto com o tráfego. Só que tem um detalhe: se você é um cara que pesa 95 kg como eu, esqueça em tentar subir ladeiras com ela A E-Bike Bicicleta Elétrica Enjoy da Mymax só aguenta subidas muito tênues com adultos (com as crianças e adolescentes que pesam até 75 kg, ela sobe muito bem, inclusive em modo econômico). As ladeiras médias (que normalmente os patinetes elétricos sobem) ela não consegue subir, e aí você só tem uma alternativa: descer da bike e empurrar.

Por outro lado, um problema que a E-Bike Bicicleta Elétrica Enjoy da Mymax possui e eu não posso deixar de considerar como um problema é justamente a sua capacidade de bateria.

A bateria desse scooter elétrico é de 36V a 4.4aH, ou seja, 4.400 mAh. É muito pouco para um produto com um motor de 350W, que é potente, e precisa ter potência para carregar adultos. E aqui até existe uma explicação: é justamente a bateria o item mais caro desse produto. Quando você pesquisa preços de baterias alternativas com maior capacidade, elas custam pelo menos R$ 850 (36V a 9aH, o que já entregaria pelo menos 80 minutos de autonomia de bateria ou, nos meus cálculos, 15 km de autonomia a 25 km/h, com o uso de um adulto com 100 kg).

 

 

Seria muito interessante se o projeto fosse compatível com essa bateria mais forte. Alguns modelos com pedal assistido contam com baterias de 6.6 aH, e esses sim podem ser capazes de entregar pelo menos uns 20 km de autonomia para um adulto, pois o motor contaria com a ajuda da pedalada, sem depender o tempo todo de si para levar o usuário.

Logo, antes de comprar esse produto, é fundamental observar para os detalhes que eu relatei nesse review, para que você faça uma compra que realmente atende as suas necessidades.

 

 

Conclusão

 

 

A E-Bike Bicicleta Elétrica Enjoy da Mymax cumpre o que promete… em partes.

Se você for uma criança, jovem ou adulto que pesa até 75 kg, e não pensa em se deslocar a uma distância máxima de 10 km (quer ir ao supermercado que fica a 4 km e voltar, ir até a padaria que fica a 2 km e voltar, ir até o shopping que fica a 3 km e voltar, dar umas voltas na ciclovia perto de casa ou na praia, entre outros passeios), pode comprar sem medo. Ela cumpre o que promete, e a sensação que o produto entrega é das mais agradáveis.

Agora, se você é um adulto com mais de 75 kg de peso, e pensa em adquirir o produto para deslocamentos mais longos pela questão de mobilidade, pense duas vezes. Não é a scooter mais recomendada. Ou escolha um patinete elétrico (de preferência com motor de 500W e bateria na casa dos 8.7aH, que é o que eu vou fazer) ou compre uma bicicleta elétrica com pedal, de preferência com o motor na roda dianteira. O simples fato de você fazer o exercício junto já vai ajudar na autonomia de bateria, sem falar nas suas subidas que serão bem descomplicadas.

 

 

Review em Vídeo