O choque mais esperado.

Motorola e ASUS são concorrentes diretos no mercado brasileiro, e não escondem isso em nenhum momento. Ou pelo menos a ASUS deixa bem claro que quer assumir a posição que é nesse momento da empresa que pertence hoje à Lenovo.

Não apenas no fator preço, mas também nas suas características técnicas, Motorola Moto Z3 Play e ASUS Zenfone 5 são concorrentes diretos. Recebem o mesmo processador da Qualcomm (Snapdragon 636), variantes com a mesma quantidade de RAM e processamento, um conjunto de câmera dupla traseira e o mesmo Android 8.0 Oreo.

Obviamente, a principal diferença entre os dois produtos não está exatamente no design, mas na forma em como os fabricantes trabalham com um conjunto técnico semelhante. Cada fabricante tem a sua visão e filosofia em como trabalhar com a plataforma da Google, e isso pode fazer toda a diferença entre os dois modelos.

Sem falar que as principais diferenças entre os modelos do Android estão em questões pontuais, como experiência de uso, capacidade fotográfica, gestão de bateria, entre outras características e funcionalidades.

Eu tive a chance de ficar com os dois smartphones por algum tempo e, por causa disso, foi possível realizar um comparativo onde procuro detectar qual é o dispositivo mais recomendado para diferentes grupos de usuários, e qual modelo atende melhor as expectativas de diferentes perfis de uso.

Pode ser que, no final da análise, não vamos encontrar um vencedor claro. Aliás, nem é o caso de ter um vencedor e um perdedor. Os dois são muito bons. O objetivo aqui é encontrar aquele que vai agradar mais, de acordo com gostos e necessidades individuais.

 

 

Review comparativo em vídeo

 

 

 

Características Físicas

Esteticamente, são produtos bem diferentes.

O Motorola Moto Z3 Play é mais fino na maior parte do seu corpo (não vamos nos esquecer tão cedo desse enorme calombo de sensores de câmera), e tem um agarre bem confortável. Visualmente, é um dos smartphones mais bonitos que testei no TargetHD em 2018, com linhas bem marcadas, em uma tela que se encaixa bem ao seu corpo. É claro que o sensor de câmera traseira dupla saltado do seu corpo é algo que me incomoda profundamente, mas não há nada que eu possa fazer sobre esse aspecto. Possui o leitor de digitais em uma das laterais, uma novidade que permitiu que a tela ocupasse um maior espaço na parte frontal.

 

 

O ASUS Zenfone 5 é igualmente bonito e elegante. Traz o notch na tela pois conta com a proporção 19:9. Em compensação, é uma tela maior e muito bem encaixada em um corpo que oferece um bom agarre. Também tem traseira em vidro, mas possui os círculos concêntricos no acabamento. Não suprime o conector de áudio 3.5 mm, dispensando o uso de adaptadores, o que me agrada mais para um uso diário. Seu leitor de digitais na parte traseira ajudou na proposta de obter uma tela (quase) full frontal.

 

 

Entendo que, nesse aspecto, gosto é algo subjetivo e, definitivamente, não se discute. Estamos diante de dois dos mais bonitos smartphones de 2018, e entendo que a escolha aqui é bem individual. Encontro pontos que me agradam no Moto Z3 Play (baixa espessura, opção em preto belíssima) e no ASUS Zenfone 5 (conector para fones de ouvido, o notch – isso mesmo, eu gosto -, leitor de digitais na parte traseira), de modo que cada um fará a sua escolha de acordo com as suas preferências.

 

 

Tela

O Moto Z3 Play possui uma tela de 6 polegadas, com resolução Full HD+ (2160 x 1080 pixels, 403 ppp) Super AMOLED, com proteção Corning Gorilla Glass.

Já o ASUS Zenfone 5 possui uma tela Super IPS+ de 6.2 polegadas (Full HD+, 2246 x 1080 pixels), com relação tela/corpo de 90%, 550 nits de brilho, proteção com Corning Gorilla Glass, filtro Bluelight para evitar a fadiga visual e gama de cores de 96% em NTSC com suporte para DCI-P3.

 

 

Confesso que me agrada mais a tela Super AMOLED do Moto Z3 Play, que oferece cores mais próximas das minhas preferências sem qualquer tipo de calibração da tela. O ASUS Zenfone 5 aparece um resultado final de tela mais avermelhado ou amarelado, porém, esses ajustes de cor podem ser calibrados de forma simples, de modo que o usuário tem pleno controle de tudo o que pode ser alterado nesse aspecto.

De qualquer forma, são duas telas excelentes e perfeitas para o uso diário, independente dos seus critérios de escolha.

Hardware, Software e Experiência de Uso

Os dois modelos estão muito próximos no quesito hardware, mas se diferenciam em como cada software trabalha com esses componentes.

O Moto Z3 Play conta com um processador Qualcomm Snapdragon 636 octa-core a 1.8 GHz, com GPU Adreno 509, trabalhando com 4 GB de RAM.

O ASUS Zenfone 5 que recebi para testes conta com o processador Qualcomm Snapdragon 636 octa-core de 64 bits (14 nanômetros), com AI Boost e tecnologia de economia de energia FinFET LPP, trabalhando com GPU Adreno 509 e 4 GB de RAM LPDDR4X.

Em linhas gerais, os itens de hardware são os mesmos para os dois modelos, inclusive nas variantes de armazenamento (falo sobre isso mais adiante). Porém as diferenças são pontuais no software, e em âmbitos inteligentes.

O Moto Z3 Play usa o Android Oreo quase puro, com pouquíssimas modificações, o que ajuda a entregar um desempenho absolutamente limpo para um dispositivo Android, entregando uma experiência de uso muito satisfatória para todas a atividade realizadas no dispositivo.

Por outro lado, a ASUS fez um trabalho mais completo e pensado em um funcionamento a longo prazo no Zenfone 5. Sua interface ZenUI melhorou e muito nos últimos anos, a ponto de entregar um desempenho eficiente e sem consumo elevado de recursos. Mais: acrescenta funcionalidades que oferecem ganhos de desempenho e melhorias de recursos pontuais para as diferentes situações.

Aqui, entendo que, de novo, é uma questão de gosto. Eu, que sempre defendi o Android puro (tanto, que uso a Pixel Launcher no meu Samsung Galaxy S7 Edge), estou me dando muito bem com a ZenUI. Os dois modelos vão muito bem nesse aspecto. Acredito que o Zenfone 5 sai em vantagem por se valer da inteligência artificial, e trabalhar com ela a seu favor para otimizar o software para que o mesmo trabalhe a favor do seu hardware.

 

 

Leitor de Digitais e Identificador Facial

Só estou analisando esse item porque é mais um dos pontos onde os dois modelos se diferenciam.

O Motorola Moto Z3 Play conta com esse leitor em uma das laterais do dispositivo, oferecendo ao usuário a opção de desbloquear o smartphone com diferentes digitais, dependendo da forma em que ele agarra o smartphone. O leitor funciona na maior parte do tempo, mas pode trazer problemas de desbloqueios ocasionais quando você segura o dispositivo de forma casual, tocando a digital que está cadastrada para o desbloqueio. Isso pode incomodar o usuário com o passar do tempo.

Já o ASUS Zenfone 5 não traz novidades nesse aspecto. É um leitor de digitais na parte traseira, que funciona com um ótimo tempo de resposta. Seu acesso é simples e direto. Pode não ser tão intuitivo para alguns, mas se justifica pelo tamanho do smartphone em questão.

 

 

Já no sistema de reconhecimento facial, algumas diferenças. Nos testes, o Moto Z3 Play na maior parte do tempo identificou o meu rosto, mas não fez o desbloqueio automático. Ou usou o reforço do leitor biométrico (o que é bom, já que pede de alguma forma um reconhecimento em dois passos) para desbloquear a tela, ou mostra a tela e suas notificações, mas mantendo a tela bloqueada.

Já o Zenfone 5 faz o desbloqueio completo, com diferentes ângulos de posicionamento do rosto. Em alguns casos, o desbloqueio era eficiente a ponto de uma simples olhada para o lado onde o smartphone está na mesa ser o suficiente para realizar o desbloqueio completo da tela. Vale lembrar que esse desbloqueio não funciona se você estiver em um ambiente com iluminação artificial precária ou no escuro.

 

 

Câmeras

Aqui temos (talvez) a maior diferença entre os dois modelos, e pode ser o item decisivo na hora da compra para muitos consumidores.

O Moto Z3 Play possui uma câmera traseira dupla de 12 MP + 5 MP com Dual autofocus pixel, abertura f/1.7 e f/2.2, com auto HDR e dual flash LED. Já o ASUS Zenfone 5 possui uma câmera traseira dupla de 12 MP (f/1.8, Sony IMX363) dual-pixel, com 83 graus de campo de visão, focagem com detecção de fase em 0.03 segundos, estabilizador ótico de imagem com 4 eixos e flash LED.

Na prática, o Zenfone 5 entrega fotos com uma qualidade superior, muito porque consegue trabalhar bem com os recursos de inteligência artificial, que se adapta melhor às diferentes situações. Ainda não são resultados que se equivalem aos sensores presentes nos dispositivos top de linha, mas ao menos estão entre os melhores dentro de sua categoria de linha média premium.

 

 

Já o Motorola Moto Z3 Play oferece resultados um pouco abaixo do esperado para um dispositivo que possui um sensor traseiro duplo onde o sensor principal possui uma abertura menor do que a do Zenfone 5 (f/1.7, contra f/1.8 – lembrando que, quanto menor a abertura, maior a capacidade de captação de luz). Mas como números não significam nada no universo da fotografia em smartphones, a forma como o software da Motorola trabalha com esses sensores não é a mais otimizada para aproveitar as características desse hardware.

 

 

Sem falar que, na parte de vídeos, o Zenfone 5 também se sai melhor, com maior estabilização de imagem e resultados mais satisfatórios nos aspectos gerais (apesar de apresentar resultados abaixo do esperado, mas melhores que os vídeos entregues no Moto Z3 Play).

Colocando lado a lado, me agrada mais o Zenfone 5 nesses aspectos.

Áudio

É um item onde temos um claro vencedor.

Enquanto o Moto Z3 Play trabalha com um áudio mono (apenas no alto-falante superior, normalmente utilizado para chamadas), o Zenfone 5 possui um alto-falante estéreo (superior, frontal, e inferior, lateral), e ainda conta com uma série de tecnologias que otimizam esse áudio para que ele chegue ao usuário o mais forte e imersivo possível.

Na prática, o áudio do smartphone da ASUS é realmente mais forte e imersivo, e ainda pode ser equalizado com os recursos de software do dispositivo. Logo, ele é naturalmente o vencedor nesse item.

 

 

Bateria e Armazenamento

Os modelos contam com números semelhantes nesses itens.

Tanto o Moto Z3 Play como o Zenfone 5 contam com versões com 4 GB de RAM e 64 GB ou 128 GB de armazenamento. Ambos são expansíveis via microSD. E os dois contam com números bons o suficiente para agradar a maioria dos usuários.

Na parte de bateria, o design mais fino do Moto Z3 Play resulta em uma bateria de 3.000 mAh, que vai bem na maior parte do tempo, entregando pelo menos um dia de uso. Porém, além de contar com uma bateria maior (com 3.300 mAh), o Zenfone 5 traz como grande trunfo o ótimo gerenciamento de recursos da ZenUI, além do apoio da inteligência artificial. No smartphone da ASUS, temos um dia de uso com sobra, com um consumo inteligente de recursos, de acordo com as necessidades do usuário.

 

 

Conclusão

É preciso deixar bem claro que os dois smartphones são ótimas escolhas, ficando entre os melhores dentro do seu segmento de linha média premium de smartphones no mercado brasileiro. Logo, a escolha pode ser uma questão de gosto para um ou outro modelo.

 

 

Porém, de forma pontual, o Zenfone 5 me agrada mais. Oferece vantagens em dois itens que eu priorizo muito em um smartphone: boas câmeras e boa autonomia de bateria. Design e interface de usuário são itens de gosto subjetivo, mas a forma do smartphone da ASUS em gerenciar os seus recursos com a ajuda da inteligência artificial chamam a atenção de forma singular. O áudio melhor e a tela maior são um plus para aqueles que consomem conteúdos multimídia. E a qualidade da tela LCD é algo que ainda posso lidar sem maiores problemas.