Compartilhe

Se tem um produto que funciona muito bem para a Xiaomi, esse produto é a smartband Mi Band. Este é um campeão de vendas, e uma das referências dentro desse segmento. E se todo mundo quer ter uma pulseira inteligente para chamar de sua, que dirá a Redmi, que virou uma marca independente.

Apresentamos nesse post a Redmi Band, uma pulseira de atividades com tela colorida e, como não poderia ser diferente (especialmente para um dispositivo dessa marca), um preço muito competitivo. É uma pulseira com tela colorida touch com medidor de frequência cardíaca e pulseiras intercambiáveis. E além do preço, um dos seus principais atrativos (tal e como acontece com a Mi Band) é a sua autonomia de bateria.

Vamos conhecer a Redmi Band com mais detalhes.

 

 

 

Tela colorida e pulseiras coloridas

 

 

A Redmi Band lembra muito a Fitbit 4 no seu design, com um formato bem mais retangular e se distanciando da Mi Band 4. O produto oferece quatro opções de cores de pulseiras para sua escolha.

A tela conta com 1.08 polegadas, e é colorida e tátil. Não encontramos botões externos nesse caso, e os sensores para controle dos comandos estão na parte inferior da tela.

Configurações básicas, com autonomia de bateria promissora

Os sensores prometem trabalhar bem com as atividades, mas a Redmi dá uma maior ênfase sobre a sua precisão na hora de detectar os giros do pulso. Assim, ela é mais sensível durante as elevações dos braços na hora de exibir conteúdos, além de trabalhar bem com uma ampla variedade de atividades físicas.

Um dos “problemas” (coloco “entre aspas” porque nem chega a ser algo tão grave assim para um produto de baixo custo e mais pensado nos usuários casuais) das pulseiras inteligentes é que muitas delas não registram com precisão a contagem de passos e o desempenho em outras atividades. Por exemplo, qualquer movimento do braço pode ser contado como passo se um sensor não está bem ajustado. Se a Redmi Band conseguir pelo menos minimizar esse problema, já é uma grande vitória.

Voltando a falar dos sensores, a Redmi Band conta com um sensor infravermelho para detectar o ritmo cardíaco, além dos sensores de movimento para monitorizar o sono ou identificar o sedentarismo do usuário. Deste modo, a smartband pode conhecer a nossa qualidade do sono, além de atuar de forma efetiva como o nosso treinador para os exercícios físicos.

A Redmi menciona vários tipos de esportes que a pulseira pode registrar, onde o seu aplicativo próprio pode mostrar os dados coletados de forma mais clara. Ele conta com mais de 70 dials personalizados para mostrar na tela, com várias possibilidades de personalização dos exercícios.

E falando sobre a bateria do Redmi Band, sua autonomia prometida é de até 14 dias. Sim, esse valor fica abaixo dos 20 dias da Mi Band 4. Leve isso em consideração na hora da escolha.

 

 

 

Redmi Band: Versões e preços

 

Por enquanto, a Redmi Band é um lançamento para o mercado chinês, onde custa apenas 13 euros (já convertidos). Vamos ficar de olho para o seu lançamento no mercado internacional, algo que não tem preço ou janela de lançamento estimada. Certamente o preço será mais caro que esse, mas ainda assim promete ser um valor muito competitivo.

 

 

Via Gizmochina


Compartilhe