A Xiaomi usava a família Redmi para diferenciar os seus smartphones mais econômicos. Uma estratégia que não é uma novidade dentro do mercado de telefonia, e que funcionou tão bem, que a Xiaomi decidiu transformar a família Redmi em marca, como uma divisão independente da empresa.

Com essa mudança, a Xiaomi passa a adotar a família Mi como marca própria para os modelos top de linha, trabalhando em paralelo com a marca Pocophone, que são os modelos top de linha mais acessíveis, e a marca Redmi para os smartphones Android de baixo custo ou melhor relação custo/benefício.

E a nova marca Redmi já tem data para fazer a sua estreia oficial: 10 de janeiro. O primeiro dispositivo dessa nova marca será anunciado nesse dia, e vai se destacar por ser um smartphone com uma câmera traseira de 48 MP.

 

 

Três marcas: Mi, Redmi e Pocophone

O novo smartphone marca o início dessa nova fase da Redmi, e esse movimento da Xiaomi vai permitir que as três diferentes marcas que a empresa possui foquem os seus esforços nos seus respectivos produtos.

A Redmi vai se centrar nos dispositivos de entrada e linha média, focando a comercialização no comércio eletrônico, com uma penetração maior do que aquela que é feita hoje pela marca Mi.

A estratégia da Xiaomi é a mesma adotada pela Huawei com a sua marca Honor, e pela Oppo com a marca Realme. Mais detalhes sobre esse movimento estratégico serão revelados no evento marcado para o dia 10 de janeiro, onde esse smartphone com câmera de 48 MP será o grande destaque.

 

 

E a Xiaomi pensou: “se esse movimento está funcionando para os nossos principais concorrentes no mercado asiático, por que não pode funcionar para nós?”

Se a marca Redmi se tornou uma das mais populares do mercado por méritos próprios, nada mais correto do que explorar essa marca em um aspecto mais amplo, oferecendo independência de desenvolvimento e promoção, e ampliando a dominância da Xiaomi no mercado como um todo.

 

Via Gizmochina