Compartilhe

Começou hoje (2) o recadastramento de celulares pré-pago no Brasil. Clientes das principais operadoras brasileiras de telefonia móvel (Claro, TIM, Vivo, Oi, Algar e Sercomtel) que estão com o cadastro incompleto de suas linhas deverão fornecer dados adicionais para evitar o bloqueio.

A medida é uma exigência da Anatel, e tem como principal objetivo evitar fraudes, como o uso do CPF de terceiros para cadastro de linhas. O processo de atualização cadastral dos usuários de números pré-pagos no Brasil começou em abril e, desde então, estava em processo progressivo para estados selecionados.

A partir de 2 de setembro, todos os estados brasileiros entram na regra de recadastramento obrigatório das linhas. O usuário precisa informar como dados de cadastro:

– Nome completo
– Número de CPF (para pessoa física)
– Endereço completo com CEP

 

 

O cliente será avisado sobre o recadastramento

 

 

As operadoras vão alertar os clientes que precisam atualizar os seu cadastro através de mensagens SMS, chamadas de voz gravadas, ligações com atendente humano, pop-ups na tela do dispositivo e outras ferramentas de comunicação.

A partir de março de 2020, um novo modelo de cadastro para ativações de linhas pré-pago será adotado pelas operadoras. Hoje, basta comprar um chip, inserir o chip no telefone e digitar um número de CPF (que pode até ser inválido em alguns casos). Alguns números de CPF contam com mais de 50 números de celular pré-pago contratados, e o titular sequer sabe disso.

A medida é bem vinda, não apenas para reduzir as fraudes e corrigir as irregularidades, mas também para oferecer uma maior segurança para os usuários vigentes (que estão com as suas linhas regulares, mas podem ser vítimas de futuras tentativas de fraudes) como para os atuais prejudicados com as fraudes (que não sabem o que está acontecendo com o seu cadastro de CPF junto às operadoras).

Para mais informações sobre o processo de recadastramento de linhas, visite o site da sua operadora para se informar como vai funcionar o procedimento no seu caso em específico.

 

Via SindiTelebrasilAnatel


Compartilhe