Uma prática que é bem conhecida lá fora por ser adotada sem muitas restrições pelas operadoras de telefonia móvel mas que só agora desembarca no Brasil é a troca de pacote de dados para o internauta que aceita ver a publicidade direcionada em seu smartphone.

Levando em consideração que é o usuário que autoriza a exibição da publicidade em seu dispositivo, e que não estamos falando de uma publicidade intrusiva (com um monte de janelas saltando de forma aleatória na tela do seu smartphone), eu entendo que tal tática está valendo.

Afinal de contas, a publicidade faz parte da internet, e alguém sempre tem que pagar as contas em uma oferta de internet gratuita, e antes algum anúncio pagar por isso do que eu.

 

 

No Brasil, a operadora Claro já começou a trabalhar nesse sentido, oferecendo até 100 MB de dados por dia para os clientes pré-pagos apenas para ver o vídeo de publicidade direcionada, o que resulta em 3 GB de dados por mês. Após cada vídeo, você precisa responder a uma pequena pergunta sobre a publicidade, e você ganha de volta os dados consumidos para ver o vídeo (entre 10 MB e 20 MB).

O total de consumo para ver os vídeos promocionais é de 100 MB, e o usuário com um tempo extra na vida pode ganhar dados apenas vendo os vídeos com publicidade. Algo simples e aceitavelmente justo. No final das contas, o usuário pode receber até 3 GB de dados para navegar como quiser, inclusive assistir a pequenos vídeos de propaganda.

 

 

Ter um pacote de dados de graça é uma vitória para todos que convivem com o racionamento da internet pré-paga todos os dias. Por outro lado, as agências de publicidade podem dessa forma obter mais dados dos seus clientes em seu smartphone. De qualquer forma, é bom saber que a publicidade é direcionada pelo gênero e idade do usuário. Ou seja, esse é o aplicativo perfeito para o jovem sem muita grana, e o aplicativo da Claro está disponível para todos os usuários pré-pagos.

 

Via Tele Síntese