Queda do turismo atingiu Airbnb em cheio

Compartilhe

Todo mundo sabe que a atual crise sanitária global afetou diferentes tipos de setores, negócios, serviços e empresas. Um dos mais afetados foi o turismo, já que a necessidade de confinamento basicamente fez todo mundo ficar em casa, suspendendo a maioria das viagens previamente programadas.

Nesse setor, estão empresas como o Airbnb, que anunciou uma queda de receitas no segundo trimestre de 2020 de nada menos que quase 70%.

A startup de casas compartilhadas chegou a ser uma das empresas online mais importantes do mundo. Porém, em 2020, está sofrendo demais com o cenário atual. As quedas nas receitas do Airbnb foram de 67% nos últimos três meses, arrecadando apenas US$ 350 milhões no período. Bem longe dos mais de US$ 1 bilhão alcançados no mesmo período do ano passado.

O primeiro trimestre de 2020 do Airbnb gerou US$ 842 milhões em vendas, com perdas de US$ 341 milhões. Já no segundo trimestre, o prejuízo foi de US$ 400 milhões. No mesmo período do ano passado, a empresa relatou perdas de US$ 292 milhões.

Ou seja, o cenário que já não era dos mais positivos, só piorou com a crise global. Mas a empresa já estuda formas de reagir diante do caos.

 

 

 

Planos para sair à Bolsa foram reativados

 

 

Os resultados ruins de 2020 não frearam os planos da Airbnb em sair à bolsa de valores nos Estados Unidos. A empresa mantém a sua previsão de começar a se cotizar em Wall Street no final de 2020, e vai apresentar a documentação necessária para isso na Comissão da Bolsa de Valores ainda nesse mês de agosto.

Inicialmente, o Airbnb queria começar esse processo em março, mas teve que adiar os sues planos por causa da crise sanitária global. A Morgan Stanley foi o banco escolhido para liderar a operação.

A Airbnb que vai chegar à bolsa no final do ano será muito diferente da empresa que anunciou os seus planos no final do ano passado. Em maio, a startup de aluguel de casa demitiu 1.900 funcionários, o que representa 25% de sua força laboral. Além disso, o seu valor de mercado despencou dos US$ 31 bilhões para os atuais US$ 18 bilhões.

Brian Chesky (CEO da Airbnb) reconheceu que, em um período de entre quatro e seis semanas, a empresa perdeu boa parte do negócio que levou 12 anos para construir. Mesmo assim, o verão na Europa e Estados Unidos deram um breve alívio para a startup, já que as reservas voltaram a aumentar, superando a marca de 1 milhão de pernoites durante o período.

 

 

Via Bloomberg


Compartilhe