O litígio pelas patentes da Qualcomm que a Apple supostamente teria violado terminou. O assunto não vai tomar um viés jurídico, pois as duas empresas chegaram a um acordo. Dessa forma, a Qualcomm volta a ser a fornecedora da Apple para os seus futuros dispositivos.

Da noite para o dia, duas empresas que pareciam inimigas mortais se transformam em melhores amigas. E todos nós vamos ganhar com isso.

 

 

O fim da guerra entre Qualcomm e Apple

 

 

Tudo começou em 2017, quando a Qualcomm foi acusada de práticas anti-competitivas na hora de outorgar licenças de suas patentes, o que afetava especialmente a Apple, que afirma ter que pagar até cinco vezes mais que outros fabricantes para usar as mesmas patentes da Qualcomm. Por causa disso, a gigante de Cupertino processou a mãe do Snapdragon, exigindo um pagamento de US$ 1 bilhão.

A reação da Qualcomm foi extrema. Processou a Apple por supostamente violar as suas patentes. E para a Qualcomm, dinheiro não era o suficiente: ela queria a retirada dos iPhones do mercado. Algo que conseguiu com alguns modelos em países como a Alemanha.

O duelo ia chegar aos juizados federais dos Estados Unidos, mas Apple e Qualcomm se deram conta que uma não pode mais viver sem a outra. A Apple precisa de um fornecedor de confiança para os chips 5G dos seus futuros iPhones, e a Qualcomm sabe que perder a Apple como cliente seria um duro golpe em suas receitas.

 

 

A grande perdedora com tudo isso é a Intel

 

O novo acordo faz com que os próximos iPhones recebam os chips 5G da Qualcomm, e não os chips Intel como se previa até agora, o que torna a própria Intel como grande perdedora com esse acordo.

A Intel seria a fornecedora de chips 5G para a próxima geração do iPhone, mas há quem diga que o seu trabalho estava muito atrasado e não cumpria com as exigências da Apple. Diante dos adiamentos constantes, a Apple teria feito um ultimato, e não é surpresa ver a gigante de Cupertino ceder para a Qualcomm pouco depois disso.

A Apple decidiu por não optar pelos novos chips 5G da Intel, algo que basicamente matou o projeto dentro da empresa. Para a Intel, o acordo entre Apple e Qualcomm resulta no seu abandono do mercado de chips 5G. É uma decisão drástica que Bob Swan, novo CEO da empresa, teve que tomar. O próprio executivo afirma que “não há um caminho claro até a rentabilidade”. Quem sabe na Internet das Coisas, mas pelo visto essa não é a visão dele.

Se bem que é difícil ganhar dinheiro quando ninguém quer o seu produto.

 

Via Apple, Intel