Compartilhe

A obsolescência programada é uma teoria onde os produtos de tecnologia, depois de um certo tempo, deixam de funcionar para forçar os usuários a comprar outros produtos. Na indústria de telefonia móvel, isso é algo quase evidente.

Por um lado, temos a evolução tecnológica acontecendo tão rápido, que nos levou a uma situação onde os modelos top de linha só ficam no topo por um ano, onde os novos modelos são especulados antes mesmo do lançamento dos sues predecessores.

Mas isso nos levou a uma faixa de preços muito maior, em no caso de modelos como o Galaxy Fold, algumas reparações resultam em preços equivalentes a adquirir um dispositivo completamente novo.

Porém, existem formas diversas para prolongar a vida do seu dispositivo de tecnologia.

 

 

Utilizar trocas e peças e reparações do dispositivo

A primeira e mais simples solução é substituir os componentes que apresentam problemas, e muitas vezes isso está relacionado com o próprio serviço técnico dos fabricantes, com alguns casos destacados, como a polêmica das baterias dos iPhones da Apple.

 

 

Sempre é recomendável utilizar reparos e peças originais, assim como levar o dispositivo para uma assistência técnica especializada no lugar de fazer o reparo por conta e risco ou em estabelecimentos de procedência duvidosa.

Isso não só ajuda a evitar novos problemas, como também tem o respaldo da garantia oficial da própria marca, além de permitir recuperar o smartphone de forma mais eficiente.

 

 

Reinventar o uso do smartphone

Em alguns casos, as mudanças do dispositivo são impulsionadas pelo desejo estético ou de atualização, resultando em um smartphone que poderia ser útil para o presente acabe guardado em uma gaveta.

Porém, uma das grandes qualidades dos smartphones é que eles podem integrar muitas outras capacidades. Por isso, você sempre pode optar por transformar os telefones antigos em ferramentas para outras funcionalidades e objetivos, como por exemplo consoles retrô, pontos de acesso WiFi e até telas portáteis para o trabalho e o ócio.


Compartilhe