Compartilhe

Microsoft e Sony apresentaram as suas cartas, e agora conhecemos todas as principais características dos futuros consoles Xbox Series X e PlayStation 5. Agora, sabemos o que esperar dos dois em termos de potência bruta. Mas… como os dois se comparam de forma direta.

Nesse post, farei uma breve, clara e simples comparação entre as bases técnicas dos dois consoles, que usam a mesma base na arquitetura em termos gerais, ou seja, são muito parecidos, e suas diferenças não são tão marcantes.

 

 

 

Zen 2, RDNA 2 e tracejado de raios

 

Os dois consoles utilizam uma APU da AMD de alto desempenho e de última geração (semi-personalizada), com uma GPU Zen 2 e uma GPU com arquitetura RDNA 2. Os dois consoles contarão com CPU octa-core, apostando na memória GDDR6 unificada para rodar entre 16 GB e 20 GB de dados.

O PS5 vao optar por potenciar o desempenho no lugar de optar com uma menor capacidade de armazenamento em SSD, e o Xbox Series X faz exatamente o contrário. O sacrifício só vai se justificar (ou não) mais adiante.

 

 

 

Especificações do PlayStation 5

 

CPU Zen 2 com oito núcleos a 3,5 GHz (variável, para baixo).
GPU AMD RDNA 2 com 36 UCs (2.304 sombreados) na variável 2,23 GHz (pico máximo, 10,3 TFLOPs de potência).
Suporte a ray tracing acelerado por hardware.
16GB de GDDR6 com largura de banda de 448GB/s.
SSD de 825GB com largura de banda expansível de 5,5GB/s.
Suporte de armazenamento externo.
Leitor de disco blu-ray 4K.
A Sony não alcançou o objetivo de resolução e desempenho em jogos.
Som posicional 3D de alta qualidade com chip Tempest dedicado.

 

 

 

Especificações do Xbox Series X

 

Processador Zen de 2 a 3,8 GHz com 8 núcleos ativos e SMT desativado. Com o SMT ativado é possível mover 16 fios, mas a velocidade cai para 3,6 GHz.
GPU Radeon RDNA 2 semi-personalizada com 3.328 sombreados a 1.825 MHz com potência de 12,15 TFLOPs.
Suporte a ray tracing e sombreador de taxa variável.
16 GB de memória GDDR6 unificada em um barramento de 320 bits: 10 GB com largura de banda de 560 GB/s e 6 GB com largura de banda de 336 GB/s.
SSD NVME de 1TB facilmente expansível graças ao formato de cartão usado pela Xbox Series X a 2,4 GB/s bruto e 4,8 GB/s compactado.
Suporte de armazenamento externo via USB 3.2.
Capaz de rodar jogos 4K com uma taxa de atualização de até 120 Hz (120 FPS).
Leitor de disco blu-ray 4K.
Chip de som 3D.
FreeSync, HDR10 e suporte para tecnologias avançadas para melhorar a experiência do usuário, como o Modo Auto de Baixa Latência, que reduz a latência.

 

 

 

Qual é o console mais potente?

 

 

Os números não mentem: Xbox Series X, sem sombra de dúvida. Sua CPU é mais potente, podendo alcançar os 3.5 GHz de frequência, que é dinâmica, ou seja, pode cair se a carga da GPU é alta demais. Além disso, essa mesma GPU possui mais unidades computacionais, enquanto que a Sony justifica a menor quantidade de shaders do PS5 por conta da dificuldade em ocupar uma quantidade muito grande de unidades de computação, algo que não convenceu a muitas pessoas.

Na prática, a diferença na GPU entre os dois consoles é muito maior, e o Xbox Series X vai conseguir trabalhar melhor com o ray tracing que o PS5. E isso pode afetar sensivelmente no desempenho dos jogos.

Sobre a memória unificada, o Xbox Series X possui uma pequena vantagem pela maior largura de banda do seu bloco rápido, com o objetivo em rodar jogos em 4K a 60 fps. Já o PS5 não possui uma meta definida, focando no desempenho do SSD que possui uma maior largura de banda, além da capacidade de som 3D posicional.

Por mais rápido que um SSD funcione, em um determinado ponto as diferenças de desempenho entre os dois consoles serão cada vez menores. 3.5 GB/s e 5 GB/s é uma diferença mínima no desempenho. Aqui, o quadro só muda se a Sony surpreender todo mundo.

A retrocompatibilidade é um capítulo a parte. Os dois consoles prometem isso, mas o suporte do Xbox Series X é muito maior que o do PS5, pelo menos no momento de lançamento dos dois produtos.

 

 

 

A Sony dormiu no ponto?

 

 

Tudo indica que sim.

A Sony liderou de forma absoluta a atual geração com o PS4, e a Microsoft sentiu o golpe, mas aprendeu a lição: potência conta, e muito. E o Xbox Series X começa muito bem nesse aspecto.

Nem mesmo a Sony esperava por isso, de modo que recorre a um modo turbo e ao SSD com estranhos 825 GB de armazenamento, algo que pode ter sido adicionado de última hora para melhorar a relação custo-benefício do produto. A Sony bate na tecla que equilibrou nos componentes para não fazer o preço de venda do PS5 disparar.

Porém, nesse momento, tudo indica que o Xbox Series X venceu nas especificações. Só que um console de videogames campeão não se limita a ser um monte de componentes. Os jogos exclusivos terão papel chave na disputa, e a Microsoft precisa melhorar (e muito) nesse aspecto.

Os dois consoles devem chegar ao mercado no final de 2020, e o preço de venda (salvo surpresas) deve ser o mesmo, flutuando entre US$ 499 e US$ 599.


Compartilhe