Compartilhe

Andy Rubin, o criador do Android, apresentou as primeiras imagens do curioso protótipo de smartphone chamado Project GEM, que deve ser o próximo lançamento da Essential. Após o anúncio do fim da produção do Essential PH-1 e apesar do cancelamento do Essential PH-2, a empresa reiterou a promessa em lançar um novo dispositivo.

Nesse momento, o dispositivo é apenas um protótipo apresentado em fotos e um vídeo, com poucas informações técnicas reveladas. Mas podemos confirmar a presença de uma câmera traseira única e um leitor de digitais na parte traseira, além de uma câmera frontal alojada em um furo localizado na parte superior esquerda da tela, que irá acompanhada da possibilidade de ativar um notch retangular para cobrir a parte superior completa.

O próprio Rubin revela que o dispositivo contará com uma nova interface de usuário para um formato radicalmente diferente, que funcionará sobre um sistema operacional Android.

 

 

Aposta no design irreverente e em interface com proposta diferenciada

 

 

Suas dimensões não foram reveladas, mas as fotos dão a entender que este é um dispositivo com a metade da largura dos modelos atuais, mas mantendo a altura dos phablets. Vai ser interessante ver como será a interação com o software do dispositivo na prática.

O design e contrastante com o atual modelo de telas atuais, cada vez mais largas e maiores. Mesmo assim, o Project GEM possui um design chamativo, curioso e interessante.

Aliás, uma observação que é quase um easter egg: não chamou a sua atenção a presença de um robô da Boston Dynamics nas imagens?

 

 

A interface de usuário apresenta uma espécie de widgets de cada um dos aplicativos, sem dar a entender se é uma espécie de carrossel de apps que se desloca para cima ou para baixo, onde abrimos o aplicativo em questão em toda a tela quando pressionamos sobre um desses widgets.

Também é importante lembrar que o Essential PH-1 foi o primeiro smartphone a chegar ao mercado com esse conceito de “tela completa”, além do design modular e Android puro que permitem que o mesmo siga recebendo atualizações de forma quase imediata.

Porém, mesmo com tudo isso e seu atraente acabamento em cerâmica, o Essential PH-1 não foi um sucesso como esperado. Meses depois do seu lançamento, o seu preço foi reduzido e a Essential demitiu 30% do seus funcionários. E depois do cancelamento do Essential 2, apareceram os rumores que Rubin queria vender a empresa.

 

 

Vale lembrar que foi o próprio Rubin que sugeriu uma forma para resolver o vício nos smartphones através de uma mudança relativamente pequena, combinada com um software que responde principalmente aos comandos de voz. E mesmo com os phabets serem considerados hoje como algo normal quando entregam telas com quase 7 polegadas, o próximo objetivo é manter uma portabilidade e coerência, algo que parece estar centrado nesse momento nos telefones dobráveis, que ainda contam com margem de melhora para prosperar no mercado.

 

 

Agora, resta esperar e ver o que Andy Rubin quer com esse conceito. Bem sabemos que ele se caracteriza principalmente por apostar em algo novo e surpreendente em seus lançamentos.

 

 

Via Essential


Compartilhe