Compartilhe

A bateria de um dispositivo eletrônico é delicada e temperamental, e não por acaso. É a principal fonte de energia do dispositivo, e é o que permite que o mesmo não dependa de uma tomada (caso o seu propósito é ser portátil ou destinado à mobilidade). E, por causa disso, é um dos primeiros elementos que tendem a se desgastar com o uso contínuo.

A degradação da bateria afeta o desempenho geral do dispositivo, e pode representar perigo para o bem estar do usuário, principalmente se a mesma não for conservada de forma adequada. A Nintendo já recomendou que você deve recarregar o Nintendo Switch pelo menos uma vez a cada seis meses para não afetar a duração de bateria do dispositivo. O que é pouco, considerando que estamos falando de um portátil.

Porém, nem todos os dispositivos funcionam como o Nintendo Switch.

 

 

 

Recargas periódicas, mesmo que você não esteja utilizando

 

 

Independente do tipo de dispositivo eletrônico que você possui que usa uma bateria para funcionar, esse dispositivo precisa ser recarregado periodicamente para evitar uma série de problemas. Uma bateria totalmente descarregada por muito tempo pode parar de funcionar de forma definitiva ou até mesmo provocar uma reação química que pode resultar em explosões da mesma.

Não existe uma regra nesse sentido, mas o intervalo considerado razoável para recarga de bateria seria de pelo menos uma carga a cada 3 ou 6 meses. Assim, os eletrônicos que não usamos com frequência e que precisam de carga são aqueles que merecem uma maior atenção.

 

 

 

Muito cuidado com as anormalidades na bateria sem uso

 

 

Com certeza você tem vários dispositivos eletrônicos com bateria guardados em casa por meses e sem qualquer tipo de ativação. É com esses dispositivos que você precisa ter um cuidado maior. Nesse caso, não conecte esses gadgets de forma direta para realizar a recarga: antes, observe se a bateria está inchada ou apresenta vazamentos de materiais, corrosão ou fugas de ácido.

Se você detectar qualquer sintoma de anormalidade, remova a bateria do do dispositivo, realize a sua reciclagem e jamais tente conectar o dispositivo na tomada, pois as chances de acidentes são grandes.

Sobre smartphones, tablets e notebooks, o risco de problemas é um pouco menor, pois os próprios fabricantes dos dispositivos desenvolvem baterias que são resistentes aos inconvenientes mencionados. Mesmo assim: se você tem um dispositivo que não utiliza por vários anos, além da defasagem tecnológica, talvez não vale a pena ressuscitá-lo, pelos riscos que estão envolvidos no uso de um equipamento com uma bateria que ficou parada por anos.

 

 

Via Lifehacker


Compartilhe