Compartilhe

Eu publiquei recentemente aqui no blog a lista do AnTuTu com o Top 10 dos smartphones Android mais potentes registrados pelo app de benchmarks durante os testes realizados ao longo do mês de dezembro de 2018.

A ideia desse post é olhar para a lista com um olhar um pouco diferente. No passado, era comum ver smartphones de marcas mais tradicionais no mercado de telefonia móvel liderando esse ranking de benchmarks do AnTuTu, como Samsung, LG e até a HTC. Hoje, os dispositivos de fabricantes chineses dominam a lista com sobras.

 

 

O que aconteceu?

ZTE, Huawei/Honor, OnePlus e Xiaomi dominaram a lista de dezembro, e com certeza estão entre os modelos mais potentes de 2018. Por que?

Lembrando que tudo o que eu vou escrever é a minha opinião sobre o assunto, e que não existe verdades absolutas sobre esse e qualquer tema de tecnologia (e estou baseando minha visão nos meus dez anos escrevendo sobre esse segmento todos os dias), ao meu ver, o principal motivo para modelos da Samsung, LG ou Sony oferecerem as mesmas especificações que o OnePlus 6T mas ainda assim ficarem atrás no desempenho está na forma em como o mercado chinês está olhando para os smartphones.

Não é por acaso que as marcas chinesas lançam novos smartphones top de linha a cada seis meses. E o motivo é: o público asiático leva muito a sério as tabelas de especificações e o potencial para um desempenho elevado. Se o seu smartphone não está no Top 10 do AnTuTu, ele já corre para comprar um modelo que esteja na lista.

Por outro lado, os públicos europeu, norte-americano e até mesmo o brasileiro centram as suas atenções na experiência de uso. Um exemplo disso é a Samsung, que desde o Galaxy S6 não oferece tanta RAM nos seus dispositivos, apostando em uma melhor otimização do software até mesmo para aumentar a sua margem de lucros.

A Samsung não precisa mais figurar no topo da lista do AnTuTu para convencer alguns dos principais mercados internacionais. Por outro lado, possui cota residual na China, que é dominada pela Huawei, Xiaomi, OPPO e Vivo.

 

 

Isso não significa que OnePlus, Xiaomi ou Huawei não se importam com a experiência de usuário. Pelo contrário: a OnePlus é uma das melhores nesse sentido, e Xiaomi até que está trabalhando bem com a sua interface.

Mas é fato que as marcas mais tradicionais (Samsung, Sony, LG) deixaram de olhar para os benchmarks tão a sério, e decidiram abraçar a filosofia da Apple: se funcionar de forma perfeita, pode ter até 1 GB de RAM, e os benchmarks não são tão relevantes.


Compartilhe