Compartilhe

Os Chromebooks estão no mercado há quase uma década, e conseguiram um espaço relevante no mercado informático. Mesmo não sendo para todo mundo, o Chrome OS não parou de crescer e melhorar nos últimos anos, e os dispositivos com esse sistema operacional só melhoraram.

O Chrome OS tem sistema operacional que replica o Android em computadores pessoais. Sua base está no kernel Linux e no Chromium OS, e tem a sua base funcional na nuvem.

O Chrome OS pode ser instalado em (quase) qualquer computador, mas sua experiência de uso é plena em equipamentos pensados especificamente para funcionar com ele. Isso fez com que o sistema operacional fosse o único “Linux” a superar o Windows em alguns segmentos de mercado.

Pois bem, chegou a hora de ver onde os Chromebooks estão no mercado de informática nesse momento.

 

 

 

O quanto melhorou os Chromebooks?

 

 

Muito.

Esqueça os primeiros Chromebooks que chegaram no mercado. O baixo custo e a simplicidade de uso resultaram em dispositivos muito simples e com desempenho abaixo do desejado. Hoje, o Chrome OS melhorou no software, e os notebooks se tornara muito mais potentes.

O foco na nuvem e a execução de aplicativos na web entregava uma área de trabalho simples, com um entorno gráfico acelerado por hardware que só melhorou com o passar do tempo. O Chrome OS ainda aposta na simplicidade, mas melhorou muito a sua proposta com uma interface que hoje oferece múltiplas áreas de trabalho, barra de tarefas, transições animadas, fundos, barra de status para cada aplicativo aberto, fundos de destkop ou janelas sobrepostas, entre outras funcionalidades.

E o foco na nuvem não significa hoje dependência exclusiva da internet. O Chrome OS hoje suporta apps offline e aplicativos do Android, o que representa uma evolução gigantesca na proposta do sistema operacional e, particularmente, o que permitiu que os Chromebooks se tornassem uma alternativa real para escolas, pequenas empresas e usuários domésticos.

Aproveitar as vantagens do Android e da Google Play Store nos Chromebooks não foi apenas um acerto estratégico. Era quase a obrigação do Google para fazer com que a proposta engrenasse no mercado.

 

 

A base no kernel Linux apontou para outra evolução natural do Chrome OS, que é a compatibilidade do Ubuntu nos Chromebooks, permitindo assim a execução de aplicativos Linux como se fossem nativos, rodando em máquina virtual o sistema Debian 9.0 Stretch personalizado, deixando esses computadores muito mais interessantes para os profissionais mais avançados.

Com a compatibilidade do Android com o Chrome OS, ele pode rodar a grande maioria dos jogos do sistema operacional. É claro que o Windows segue mandando no universo gaming do PC, mas os jogos do Android podem garantir alguma diversão, e como o Linux é compatível com os Chromebooks, o Steam deve desembarcar no Chrome OS em breve, o que pode ser um enorme avanço para o sistema operacional nesse sentido.

Sem falar no Stadia, que também pode rodar nos Chromebooks sem maiores dificuldades. Afinal de contas, é tudo Google, certo? Então… já pensou o seu Chromebook rodando um jogo AAA?

 

 

O Chrome OS mantém a sua facilidade de uso e configuração, sincronizando todos os dados do usuário de forma bem simples. E a sua segurança também é notável, já que o sistema operacional verifica na inicialização se o sistema está comprometido (voltando sozinho para pontos anteriores, se necessário), além de codificar os dados armazenados no disco e estabelecer que os arquivos de sistema são apenas de leitura, com processos isolados.

O Chrome OS pode iniciar o sistema em apenas sete segundos, e a velocidade de execução dos aplicativos web melhorou bastante. E tudo isso em um hardware modesto e com especificações técnicas abaixo da média de um PC padrão.

 

 

 

Os Chromebooks servem para todo mundo?

 

 

O Chrome OS possui várias vantagens, mas também entrega limitações. Está bem longe de ser versátil como são o Windows 10 e o macOS, vários aplicativos não funcionam bem quando você está offline, e a maioria dos principais jogos do mercado não rodam em um Chromebook, com a já destacada exceção daqueles compatíveis com o Stadia.

Ou seja, os Chromebooks apresentam algumas limitações para uma boa parte de usuários. Por outro lado, oferece vantagens para convencer a várias pessoas que buscam simplicidade, facilidade de uso e segurança nos dados. E isso, em todos os segmentos. Seu crescimento de mercado continua, e ainda veremos muitos portáteis com Chrome OS nas salas de aula, escritórios de executivos e lares.

E só dar tempo ao tempo.


Compartilhe