Compartilhe

Você achou que, com o lançamento do iPhone 12, você poderia comprar o iPhone 11 Pro por um preço menor, uma vez que o dispositivo iria continuar no mercado por ser um modelo lançado no ano passado e que, em teoria, poderia render um ótimo desempenho para o dia a dia?

ACHOU ERRADO, OTÁRIO!

A Apple, sempre engraçadinha, apresentou a nova família de smartphones iPhone 12, mas entregou uma surpresa indigesta para alguns usuários que já imaginavam a economia que poderiam fazer ao investir um dinheiro nos modelos da geração anterior: simplesmente retirou o iPhone 11 Pro do mercado, mas deixou o iPhone 11 disponível para compra.

E, nesse momento, muitos se perguntam: por que a Apple fez isso?

 

 

 

Negócios. Somente negócios…

 

 

Muitos entendem que os modelos da família iPhone 12 vão vender muito bem, mesmo com os preços estratosféricos. E motivos não faltam para isso. Logo, para garantir que as vendas serão mesmo muito boas, nada melhor do que retirar o modelo antigo que pode canibalizar o novo nas vendas.

Já virou uma tradição: quando a Apple lança novas versões do iPhone, os modelos anteriores são retirados do mercado. Porém, nesse caso, o iPhone 11 normal ficou na lista de disponíveis no site da Apple, mas os seus equivalentes da linha Pro desapareceram sem deixar rastros. E o motivo para isso acontecer eu já expliquei no parágrafo anterior: evitar a canibalização, além de colocar um fim à cadeia de fornecimento desse modelo.

Sobre as cadeias de produção, a retirada do iPhone 11 Pro do mercado permite que os parceiros da Apple responsáveis pelo fornecimento de componentes e montagem dos dispositivos passem a se dedicar de forma exclusiva uma série dos modelos novos, deixando de lado os mais antigos. Se uma fábrica precisa trabalhar com muitos modelos diferentes para entregar ao mercado, a produção dos modelos mais novos (e com margens de lucro maiores) pode ficar comprometida.

Sem falar que a Apple tem uma aposta séria na estratégia da produção de muitas unidades do menor número de modelos possível.

A estratégia da Apple pode ser estranha para uns e até revoltante para outros tantos, mas nenhuma empresa quer que um telefone mais antigo acabe canibalizando as vendas do modelo mais novo e com maior margem de lucro. A consequência direta dessa decisão é a redução do preço sugerido para o iPhone 11 (lá fora), o que também foi feito para não atrapalhar nas vendas do iPhone 12.

Lembrando que ainda tem muitas unidades novas do iPhone 11 Pro circulando no mercado, de modo que os interessados precisam ficar de olho em promoções ou ofertas pontuais de operadoras de telefonia móvel e e-commerces.

 

 

Via Apple, The Next Web


Compartilhe