Por que a Claro net suspendeu as vendas do pacote Premiere?

Compartilhe

Não podemos dizer que a decisão da Claro net em suspender as vendas do pacote Premiere não é algo coerente ou compreensível. Afinal de contas, desde o início do isolamento social (segunda quinzena do mês de março), todos os eventos esportivas ao redor do mundo foram suspensos, e só agora algumas modalidades estão retornando lá fora.

E, obviamente, o futebol brasileiro parou por completo. Os campeonatos estaduais estão congelados (na maioria dos casos), e os clubes estão estudando cenários para um eventual retorno. Em alguns casos, estão pensando no possível encerramento de alguns campeonatos por conta de um calendário que não favorece aos clubes.

Logo, a Claro net decidiu suspender a comercialização do Premiere pensando na racionalização de vendas dos canais, pois não faz muito sentido oferecer um serviço que não pode entregar o que promete: jogos de futebol ao vivo.

Dessa vez, o movimento não foi acompanhado pelas outras operadoras: SKY e Vivo continuam comercializando o pacote Premiere em suas respectivas plataformas, e o Premiere Play, plataforma de streaming do pacote de canais premium com venda direta pelo Grupo Globo (e que dispensa a obrigatoriedade de aquisição de um pacote de TV por assinatura) manteve a plataforma de vendas aberta para a aquisição de novos clientes, mesmo durante o período da paralisação dos campeonatos.

 

 

 

Suspensão sem prejuízos financeiros para os assinantes

 

 

Para os novos clientes da Claro net, ou para aqueles que não contam nesse momento com o pacote Premiere, não será possível realizar a contratação dos canais pelo menos durante o período em que a quarentena se fizer presente (impedindo a realização de jogos de futebol no Brasil).

Já os atuais assinantes do Premiere (que estão pagando o pacote para não receber os jogos ao vivo) podem solicitar a suspensão da sua assinatura, sem qualquer tipo de ônus ou prejuízo financeiro. Porém, fica a dica: parte do valor da assinatura é destinada ao seu clube no final do ano, e esse dinheiro é muito importante nesse momento para que alguns times possam obter uma certa estabilidade financeira. Aliás, os clubes de futebol foram muito afetados com esse período de inatividade.

É importante ressaltar que um dos motivos (ou talvez o principal motivo) para que os clubes e federações insistam tanto no retorno dos campeonatos de futebol no Brasil (mesmo em um momento onde o número de casos e mortes não para de subir, e sem qualquer perspectiva de achatamento da curva de contágio) é justamente os direitos de televisão, que ajudam a engordar de forma considerável a receita dos clubes.

E sem a exposição dos times na TV pela ausência de jogos, temos aqui um efeito dominó, pois patrocinadores também perderam o interesse em manter as suas marcas nos times.

Nesse momento, é natural que tanto as operadoras de TV paga como os seus assinantes e até mesmo os clubes de futebol estejam olhando para onde o bolso dói mais. Porém, é fundamental que o assinante também observe quais são as suas prioridades de momento. Para muitos, a suspensão do Premiere não acontece apenas porque o futebol não está acontecendo, mas também por uma questão econômica (reduzir onde pode no orçamento doméstico para sobreviver à crise).

 

 

Via UOL


Compartilhe