“Porque não precisa fazer” é uma resposta correta, mas muito simplória.

Muita gente julga a Apple por nunca* oferecer descontos no preço dos seus produtos. Você paga o ano todo o mesmo valor, isso quando não paga mais caro (isso acontece no Brasil, infelizmente). Por isso, quando chega a Black Friday, muita gente se decepciona ao constatar que os preços dos produtos da empresa da maçã mordida são os mesmos.

Mas uma notícia até surpreendente é ver que uma pequena seleção de produtos (que nunca recebe os dispositivos recém lançados pela empresa) conta com bons descontos, que na verdade chegam em forma de descontos em futuras compras de produtos da própria Apple.

É uma forma da empresa manter um status superior às demais marcas, além de manter uma alta percepção de valor do seus produtos. É a relação de valor agregado que é apresentada em diferentes vias.

Os preços dos gadgets da Apple costumam ser os mesmos pelo menos até a aprição da próxima geração. Já quando um dispositivo da Samsung ou LG é lançado, bem sabemos que este dispositivo terá o seu preço reduzido ao longo do ano, o que faz com que muita gente espere por algum tempo pela desvalorização daquele smartphone Android que tanto quer.

De qualquer forma, se você quer encontrar um produto Apple mais barato do que o seu preço oficial, vai ser difícil. Apena os produtos de segunda mão ou recondicionados contam com preços mais convidativos.

A grande exceção global foi as ofertas da Amazon nos Estados Unidos. O recente acordo de venda que permite à Amazon vender produtos online inclui descontos de até US$ 150 no MacBook Pro 2018. Infelizmente, nenhum iPhone entrou na promoção, mas isso pode mudar por causa das baixas vendas que os novos modelos estão registrando este ano.

Vale lembrar que a Apple está ‘proibindo’ as lojas parceiras em aplicar qualquer tipo de desconto nos seus produtos. Na melhor das hipóteses elas estão autorizadas a dar algum acessório de brinde, mas nunca reduzir o preço.

*Existem descontos para determinados segmentos, como professores ou estudantes, mas não existem ofertas ou descontos globais para o consumidor final.