Polícia chinesa usa óculos inteligente que identifica vários dados de suspeitos | TargetHD.net
TargetHD.net | Notícias, Dicas e Reviews de Tecnologia Polícia chinesa usa óculos inteligente que identifica vários dados de suspeitos | TargetHD.net Press "Enter" to skip to content
Wetten.com Brasil Apostas
Você está em | Home | Tecnologia | Polícia chinesa usa óculos inteligente que identifica vários dados de suspeitos

Polícia chinesa usa óculos inteligente que identifica vários dados de suspeitos

Compartilhe

O departamento de polícia chinês estreou um sistema composto por óculos equipados com câmera e sistema de reconhecimento facial, que podem escanear os rostos dos cidadãos do país, permitindo a identificação em tempo real dos detalhes de cada pessoa.

O projeto nasceu para identificar os cidadãos que utilizam documentos de identidade falsificados em estações de trem, mas os óculos funcionam tão bem que eles decidiram ampliar o uso para várias esferas da sociedade.

Só na semana passada, a polícia da estação ferroviária de Zhengzhou prendeu sete suspeitos de sequestro e roubo, em poucos segundos e de forma eficiente.

Cada óculos conta com uma câmera do lado direito, e estão conectados a um dispositivo móvel, que fica em constante comunicação com a base de dados da polícia, que acessa os nomes das pessoas escaneadas, assim como endereços, etnia, gênero, ocupação e até histórico de navegação na internet.

 

 

Se a câmera detecta o rosto de um suspeito, o agente recebe o alerta para fazer a detenção. Mas se o agente decide realizar uma busca detalhada dos antecedentes da pessoa, basta registrar uma foto, e pronto. Tudo aparece no dispositivo, sem sequer precisar alertar o suspeito.

Os óculos foram fabricados pela LLVision Technology de Beijing, e contam com características que lembram o Google Glass. E a polêmica sobre o fim da privacidade foi oficialmente reiniciada.

A China já implementou um sistema de câmeras com inteligência artificial e um sistema de pontuação de cidadão baseado na sua confiabilidade. Ou seja, este é só mais um passo em direção ao fim da privacidade no país.

 

Via Quartz, WSJ


Compartilhe