POCO, a do Pocophone F1, vira uma marca independente | TargetHD.net
TargetHD.net | Notícias, Dicas e Reviews de Tecnologia POCO, a do Pocophone F1, vira uma marca independente | TargetHD.net Press "Enter" to skip to content
Wetten.com Brasil Apostas
Você está em | Home | Notícias | POCO, a do Pocophone F1, vira uma marca independente

POCO, a do Pocophone F1, vira uma marca independente

Compartilhe

A POCO agora é uma marca “independente”. A Xiaomi repete os passos dados com a Redmi no começo de 2019, e transforma a marca que nasceu na Índia e entregou ao mundo o Pocophone F1 em uma empresa que abraça a “carreira solo”, com maior liberdade de decisão e ação comercial.

 

 

Novos smartphones a caminho?

Quando veio o anúncio que a Redmi se tornaria independente, o Redmi Note 7 deu as caras, e foi o primeiro de uma linha de smartphones que não receberia o nome da Xiaomi, mas que manteria fortes sinais de identidade com a gigante chinesa.

Já a POCO ficou com o Pocophone F1, que fez sucesso, mas já tem um bom tempo de mercado. Nos últimos tempos, os rumores sobre o fim dessa família firaram como uma nuvem, e o Pocophone F2, tão solicitado pelos fãs do primeiro modelo, se mantinha sempre no meio do caminho entre o lançamento e o cancelamento.

Porém, com a decisão da Xiaomi em tornar a POCO independente, o POCO F2 pode se tornar uma realidade em breve. No comunicado para a imprensa, Manu Kumar Jain, vice-presidente da Xiaomi, reconhece a popularidade do POCO F1, e entende que esse é o momento adequado para que a nova empresa alce voos mais altos, incluindo um hipotético lançamento de um novo smartphone.

É claro que a popularidade do Pocophone F1 é discutível, pois ele não vendeu tanto quanto os modelos da Xiaomi e da Redmi. Porém, vender 700 mil unidades nos seus primeiros três meses de vida não é algo ruim, ao meu ver. Sem falar na qualidade do dispositivo: a minha unidade do POCO F1 continua funcionando perfeitamente depois de mais de um ano de uso.

Vamos ver se o movimento funciona. A Xiaomi conta com várias marcas próprias (Xiaomi, Redmi, POCO, etc) e pelo menos uma participação no segmento dos games (Black Shark). E isso, porque estamos falando apenas do segmento de smartphones. Nos demais setores, esse polvo cheio de tentáculos se expande de forma significativa.

Tudo isso mostra que a Xiaomi está com uma boa saúde. Logo, vamos confiar que a POCO vai se manter igualmente saudável, apresentando uma nova linha de smartphones que deve chamar a atenção de muitos usuários.

 

Via TechCrunch


Compartilhe