Compartilhe

Hoje, 3 de dezembro, se comemora os 25 anos do lançamento do primeiro PlayStation no Japão. Considerado um dos pilares fundamentais da indústria dos games, o console apontava para o caminho do sucesso antes mesmo do seu lançamento.

 

 

Sony, e como tudo começou

 

 

A Sony nasceu com o nome Tokyo Tsushin Kenkyujo em 1946, como parte da recuperação do sistema de comunicação de uma Tóquio devastada pelos bombardeios da Segunda Guerra Mundial.

A empresa começou a expandir suas possibilidades em diversos segmentos de produtos, e só se tornou Sony mesmo em 1958, se transformando efetivamente em uma marca de eletrônica.

Em 1972, a Sony protagonizou a revolução do áudio pessoal ao lançar o Walkman, o primeiro reprodutor de áudio estéreo portátil e um dos produtos mais vendidos ao redor do mundo. Depois, a empresa deu o salto para o áudio digital com os CDs, o que abriu um novo mundo de possibilidades para o segmento de entretenimento.

Em 1982, a Sony fez a sua primeira aparição no mundo da informática com o SMC-70, o seu primeiro computador pessoal que acabou derivado para o mercado profissional. No final da década de 80, lançou a Sony Music Entertainment e a Sony Pictures, investindo pesado nos conteúdos audiovisuais, estabelecendo um novo padrão para essa indústria.

O próximo (e natural) passo era buscar um produto único no segmento de videogames, que já era dominado por Nintendo e SEGA. O primeiro contato da Sony com os videogames chegou através de um acordo com a Nintendo, que resultou no desenvolvimento do conceito do bem sucedido Super Nintendo, buscando uma forma de incorporar um leitor de discos ao tradicional formato dos cartuchos.

Porém, a Nintendo queria um grande controle no produto, entregando uma baixa margem de lucros para a Sony, e o acordo entre as duas chegou ao fim. Os japoneses inicialmente descartaram a ideia de um videogame próprio baseado nas unidades de CD-ROM da empresa. Porém, com a ajuda da Sony Music (que produziu a primeira leva de discos) e o investimento da Sony Computer Entertainment, nasceu uma divisão específica para o desenvolvimento de consoles de videogames.

E tudo isso se materializou no lançamento do Sony PlayStation no final de 1994.

 

 

A chegada do PlayStation ao mundo

 

 

O PlayStation foi um sucesso sem precedentes. Lançado exclusivamente no Japão, vendeu mais de 100 mil unidades no seu primeiro dia de vida. Até 2006, ano em que foi descontinuado, ele vendeu quase 105 milhões de unidades ao redor do mundo.

A janela de lançamento do console foi crucial para o seu sucesso: o PlayStation chegou durante a queda nas vendas dos consoles da SEGA e o atraso no lançamento do Nintendo 64. Assim, o console chegou com um hardware melhor mas também conquistando muitos jogadores, especialmente por ser o primeiro console pessoal a comercializar jogos em 3D.

Porém, o grande segredo do sucesso do PlayStation foi a internacionalização do console. A Sony Computer Entertainment contava com uma sede principal nos Estados Unidos, o que ajudou na expansão do produto no mercado ocidental, superando com facilidade a concorrência.

 

 

O sucesso do DualShock

 

 

O controle do PlayStation foi outro elemento para o seu sucesso. Até então, os controles eram emulados para funcionar bem em uma superfície plana. A Sony adicionou uma terceira dimensão, com cantos de agarre mais marcados e ergonomia que facilitava o acesso ao direcional em cruz e a colocação dos botões.

Porém, até o DualShock teve que copiar o controle do Nintendo 64, integrando os sticks analógicos e a função de vibração presente no controle do rival. Mesmo assim, o design do controle do PlayStation manteve um design que perdurou com o tempo, adicionando melhorias e funções que outros controles da concorrência acabaram adotando.

 

 

A evolução do PlayStation

 

 

Seis anos depois do lançamento do modelo original, a Sony lançou o PlayStation 2, que dessa vez teve um lançamento global em 4 de março de 2000.

O console tem um salto de formato, com a mudança do processador central Emotion Engine e a adoção de um leitor de DVD que permitia a retrocompatibilidade total com o seu predecessor, alcançando assim um catálogo com mais de 2.700 jogos. Isso fez com que o produto acumulasse 160 milhões de unidades vendidas ao redor do mundo, sendo este o console mais vendido da história.

O PlayStation 3 chegou ao mundo em 2006, e s ó vendeu 86 milhões de unidades ao redor do mundo, apesar de incorporar o novo processador Cell, uma RSX Reality Synthesizer para o processamento gráfico e o novo suporte para conteúdos em Blu-ray. Muita gente entendeu que não houve um grande salto de geração perceptível.

O PS3 também foi o primeiro a apresentar a realidade virtual aos jogadores com o fracassado PlayStation Move, que foi superado pelo Nintendo Wii. Porém, é console que inaugurou uma das bases atuais da Sony: a plataforma de jogos online PlayStation Network.

O jogo online ganhou ainda mais protagonismo com o lançamento do PlayStation 4 em 2013, que venceu a sua geração de consoles por casua dos jogos multiplayer e a chegada de um novo modelo de jogos gratuitos e compras de conteúdos adicionais.

PlayStation 5 vem aí

Agora, todos os olhos estão voltados para a próxima geração de consoles, com o PlayStation 5 e o Xbox Scarlett, que prometem um salto técnico notável e que podem entrar para a história como os últimos consoles compatíveis com o formato físico.

Porém, a estreia sofrível do Google Stadia mostra que, pelo menos a curto prazo, o streaming de games ainda tem muito a melhorar para oferecer um desempenho equivalente aos consoles.

O PlayStation 5 deve chegar ao mercado em 12 de dezembro de 2020.


Compartilhe