Compartilhe

Os recém anunciados smartphones Pixel 3a e Pixel 3a XL da Google já despertam o interesse de muita gente. São smartphones intermediários com telas OLED de 5.6 e 6 polegadas, processadores octa-core Snapdragon 670 e com o relevante diferencial de contar com algumas das melhores câmeras fotográficas do mercado mobile.

O iFixit já publicou o processo de desmontagem dos dois dispositivos, e traz a boa notícia que os dois modelos são relativamente fáceis de serem reparados, permitindo a substituição da maioria dos componentes e com pouca quantidade de cola unindo ou prendendo as peças.

Com o processo de desmontagem, foram revelados mais detalhes sobre as características técnicas do Pixel 3a, como a presença de módulos de radiofrequência da Qualcomm, memória flash eMCP da Micron, 4 GB de RAM LPDDR4X e tela OLED com proteção Dragontail Glass, o que na tradução para os mais leigos é “uma tela da Samsung” e não da LG como foi inicialmente especulado.

 

 

Mais fácil de reparar do que você imagina

 

 

O processo de desmontagem do Pixel 3a é bem mais simples que o esperado, o que é visto como algo positivo pelo pessoal do iFixit para facilitar os reparos, mas coloca o telefone em prejuízo na questão da resistência à água. O modelo é resistente contra respingos e chuvas, mas deixa de lado a certificação IP68 presente no Pixel 3.

Aliás, alguns detalhes de construção do Pixel 3a se destacam nessa facilidade de reparação, inclusive deixando o modelo ainda mais fácil de ser consertado que o Pixel 3. Elementos como a porta USB-C e o conector para fones de ouvido de 3.5 mm são modulares (esses itens sofrem elevado desgaste pelo uso do dia a dia), dispensando assim a troca da placa em caso de problemas com um desses itens.

 

 

No final, tanto o Pixel 3a quanto o Pixel 3a XL alcançaram uma nota 6/10 no índice de reparação (quanto mais alta a nota, mais fácil é de se reparar um dispositivo). A nota foi alta porque a maioria dos componentes é modular, há a presença de parafusos no padrão Torx e o adesivo que segura a bateria é fácil de remover. Porém, os cabos muito finos e compridos podem ser danificados se não houver um cuidado no processo de reparação.

 

 

Via iFixit


Compartilhe