Compartilhe

O pessoal do PINE64 não para. A empresa chinesa responsável por produtos como o Pinebook ou o PinePhone anunciou um novo projeto que complementa o seu ecossistema de hardware baseado em Linux: o PineTime, um smartwatch com Linux com preço inicial sugerido de US$ 25.

Mas antes de você tirar o cartão de crédito da carteira, saiba que o produto só deve chegar ao mercado em 2020, pois é um projeto secundário do PINE64, que ainda tem o seu foco nos notebooks e smartphones, e vai deixar que a comunidade e os desenvolvedores conduzam o relógio inteligente para o caminho que assim desejarem.

Os dados que sabemos sobre o relógio incluem a sua imagem real do produto, o seu preço (US$ 25, sempre vale a pena repetir) e algumas das suas características técnicas, como o tamanho das pulseiras (20 mm), um dock de carga, monitor de pulso cardíaco e a bateria com autonomia para vários dias.

O preço pode parecer surpreendente, especialmente quando comparado com os preços oferecidos por produtos concorrentes, mas é importante lembrar que o corpo desse relógio existe e já é utilizado por outros fabricantes chineses para desenvolver os seus próprios produtos. E é possível encontrar esse mesmo relógio no AliExpress por 24 euros, por exemplo.

 

 

O que o PineTime tem de tão diferente?

 

 

O diferencial desse relógio é que a PINE64 vai decidir quais são os componentes internos do dispositivo, personalizando as especificações de acordo com aquilo que eles querem oferecer, de acordo com a vontade da comunidade interessada nesse projeto, que vai participar do desenvolvimento do produto. Ou seja, não dá para saber ainda o que será lançado como produto final.

De qualquer forma, o PineTime é uma proposta muito curiosa e o preço reduzido fará que, pelo menos em um primeiro momento, qualquer pessoa possa se interessar por ele. Mesmo que seja para alimentar o seu puro vício geek em ter gadgets em casa.


Compartilhe