Philips quer ajudar você a ter um sono melhor com mini-vibrações

Compartilhe

O Philips SmartSleep Snoring Relief Band é um novo sistema que quer ajudar com os usuários que costumam roncar durante o sono, perturbando a vida de alguém (fatalmente isso acontece). O produto parece ser genial. Só resta saber se ele tem algum sentido.

 

 

O roncar finalmente vai acabar?

 

 

40% dos homens e 24% das mulheres roncam habitualmente. O ronco acontece porque, ao dormir, a garganta e a língua, a boca e o nariz se relaxam naturalmente. O ronco, além da sua poética habitual, aparece quando algo impede que o ar caminhe corretamente enquanto respiramos. O ar obstruído faz com que as paredes da garganta vibrem e o resultado é a sinfonia que o seu marido emite todas as madrugadas diretamente no seu ouvido.

Os roncos contam com muitas explicações. Algumas vezes, são sintomas de problemas médicos que precisam de tratamento. Mas na maioria dos casos é algo ocasional, provocado pela posição da pessoa na cama enquanto dorme. Por isso, uma técnica formidável para acabar com o ronco é mudar a posição do cidadão que está roncando, e pronto: o ronco desaparece.

É com esse princípio em mente que a nova faixa da Philips é pensada: para acabar com o ronco. A faixa é instalada ao redor do tórax, monitorizando a posição do usuário. Assim, quando ela detecta posições problemáticas, ela começa a vibrar até que a pessoa se mova e mude de posição.

 

 

Vibrações em busca da melhor posição para dormir

 

 

A Philips SmartSleep Snoring Relief Band conta com sensores de movimento que detectam a posição do usuário na cama. Caso aconteça o chamado “ronco posicional”, que pode ser evitado movendo a pessoa que está roncando, vibrações farão que o usuário se mova.

O ronco aparece quando algo impede que o ar flua corretamente enquanto respiramos. As paredes da garganta vibram e produzem o irritante som.

 

 

O gadget da Philips automatiza e gerencia por algoritmos a modificação da nossa postura ao dormir. Esse aviso se realiza por vibrações que não param enquanto o usuário não mudar a sua posição na cama, onde o sistema detectou como algo problemático.

O dispositivo aprende por Inteligência Artificial as respostas do usuário, e vai otimizando com o tempo a vibração para potenciá-la, caso ela perda a eficiência uma vez que o usuário pode se acostumar com a vibração. Também regula a intensidade e frequência das vibrações, sendo as mesmas mais reduzidas inicialmente para que a novidade não impeça o usuário de conciliar o seu uso com uma boa noite de sono.

 

 

Primeiro ela deixa você dormir, para depois alertar sobre o ronco

 

 

A Philips SmartSleep Snoring Relief Band tem a interessante característica de não evitar que você durma de barriga para cima desde o início do ciclo de sono. Ele dá uma margem de 30 minutos para conciliar o sono com a posição do corpo. Depois disso, se a faixa detecta que você está de barriga para cima, ela vai vibrar com diferentes padrões até conseguir colocar você de lado.

O sensor inclui uma tela onde você pode obter dados de nosso sono, como as horas que ficamos na cama, o tempo que ficamos de barriga para cima e o percentual de sucesso das vibrações para evitar uma postura que favoreça o ronco.

Um dos segredos para o sucesso do dispositivo é que ele precisa ser utilizado enquanto o usuário dorme, mas sem incomodar o usuário. Pois bem, o sensor é relativamente pequeno, e é instalado dentro de uma tira de tela ajustável na cintura, e que pode ser lavado.

 

 

Faz algum sentido?

 

 

A intensidade das vibrações é ajustável para que o sono do usuário não seja interrompido. Além disso, ele utiliza um algoritmo de aprendizagem automática para analisar hábitos de sono e encontrar as melhores posições do sono. Teoricamente falando, um bom uso do SmartSleep Snoring Relief Band ajuda a criar hábitos de posição menos ruidosos.

A terapia posicional vem sendo utilizada com bons resultados pelos médicos em diversas situações para cuidar de problemas relacionados com as rouquidões. Ou seja, faz todo o sentido. Porém, tal e como avisam as clínicas médias, este tipo de aproximação pode ter bons resultados a curto prazo, mas podem perder a eficiência com o passado do tempo. Vamos observar os resultados práticos do gagdet até chegar aos seus primeiros usuários.

O gadget da Philips chega ao mercado norte-americano no final de 2020, e no mercado internacional ao longo de 2020. Preços não foram revelados.

 

Via Philips, Philips


Compartilhe