Compartilhe

O ano de 2018 será lembrado como o ano da popularização do notch (que já morre em 2019). Também é o ano da câmera tripla, do leitor de digitais abaixo da tela, do sistema de reconhecimento facial, e outras inovações, em uma corrida quase frenética.

Qual foi o smartphone mais inovador de 2018? Vamos tentar responder essa pergunta nesse post, mostrando algumas escolhas do ano.

 

 

OPPO Find X

 

 

O módulo móvel para câmeras e o sistema de reconhecimento facial já são pontos de inovação, rompendo com os designs e formatos anteriores, se aproximando mais da tela sem bordas. Foi um belo golpe na mesa enquanto vários ficaram debatendo sobre o notch e outras formas de maximizar a tela dos smartphones.

 

 

Huawei Mate 20 Pro

 

 

Uma proposta de câmera traseira tripla que é a mais versátil do momento, combinando com uma tela incrível, um design muito agradável e um processador Kirin 980 bem potente. Todas as inovações da empresa resultam em uma experiência de uso muito agradável, sem falar em uma das recargas de bateria mais rápida do mercado e carga sem fio reversível.

 

 

Huawei P20 Pro

 

 

O primeiro a incluir uma câmera traseira tripla com a tecnologia da Leica. Marcou um antes e um depois na telefonia móvel. Também é o primeiro a implementar a Inteligência Artificial do modo correto, seguindo os passos do Mate 10.

 

 

Samsung Galaxy Note 9

 

 

Mesmo com muito continuísmo no design, tem um elemento diferencial: entrega a experiência de desktop em um dispositivo móvel. Melhorou o conceito do dock apresentado no ano passado, e implemento ainda mais a qualidade das suas já poderosas câmeras fotográficas.

 

 

Xiaomi Mi A2

 

 

É inovador sem abraçar muitas revoluções. E é inovador por oferecer melhorias para todos os bolsos. É muito bom como dispositivo para fotografia, dando um plus nesse aspecto para um dispositivo de linha média. Uma excelente relação custo/benefício.

 

 

OnePlus 6T

 

 

Integrou um leitor de digitais abaixo da tela, que funciona muito bem para uma primeira geração. Devolveu aos usuários a vantagem de ter de novo um leitor de digitais na parte frontal do dispositivo, e tudo isso sem renunciar a um design quase sem bordas.


Compartilhe