Os smartphones restaurados se transformaram em ótima alternativa para quem não tem essa grana toda. São dispositivos usados, mas devidamente revisados a ponto de ficarem bem próximos a um modelo novo, e em melhor estado do que um telefone de segunda mão.

Essas unidades são mais baratas que o seu equivalente novo, e contam com garantia mínima de um ano. E esses dois detalhes explicam por que eles se tornaram tão populares.

Porém, nem tudo são flores. A empresa Blannco, especializada na segurança e reparação de dispositivos móveis, publicou um estudo que mostra os problemas mais comuns encontrados em smartphones restaurados, e existem diferenças notáveis entre Android e iOS nesse aspecto.

No Android:

Desempenho (34%).
Mal funcionamento da câmera (14%).
Falhas no microfone (9%).
Problemas na recarga de bateria (7%).
Problemas com alto-falantes (7%).

Os problemas de desempenho no Android podem acontecer porque os vendedores não realizam de forma adequada o processo de restauração de fábrica, além de um maior presença de smartphones de entrada, com desempenho mais precário.

No iOS:

Falhas no Bluetooth (9%).
Problemas com o WiFi (8%).
Falhas nos fones de ouvido (8%).
Problemas com os dados móveis (4%).
Problemas de sinal (3%).

Ou seja, nada de menções sobre problemas de desempenho ou em componentes. A maior parte dos problemas estão na conectividade.

 

 

 

Quais modelos são os que mais falham?

 

As diferenças aqui estão na variedade dos modelos Android e no número reduzido de dispositivos iOS. Por isso, vamos começar pelos modelos da Apple.

O iPhone 6 e o iPhone 6s são os modelos com maior taxa de falhas entre os smartphones restaurados, seguidos dos modelos iPhone 6s Plus, iPhone 6 Plus e iPhone 7. O motivo é o elevado volume de vendas desses modelos, e o tempo em que estão no mercado, muito mais do que os modelos mais novos.

 

 

Já no Android, entre os modelos restaurados, os mais mencionados como problemáticos são da Samsung, Xiaomi e Motorola, e o motivo é o mesmo dos modelos da Apple: elevado volume de vendas e grande presença de mercado.

 

 

Agora… será que vale a pena comprar um smartphone restaurado?

Se o vendedor é oficial e oferece garantia mesmo com um preço justo, a compra pode valer a pena. Mas também procure comprar smartphones top de linha ou intermediários novos quando eles forem superados por modelos de uma nova geração (exemplo: o Galaxy S8 é uma boa opção de compra hoje), já que seguem oferecendo um bom desempenho, o mesmo tempo de garantia, e um preço bem menor que os cobrados pelos novos modelos.