A internet é maravilhosa, mas também pode ser horrível. Pense nas pessoas que tiveram as suas vidas destruídas porque as suas contas bancárias foram hackeadas, ou porque a sua informação pessoal foi publicada, ou porque o seu trabalho foi roubado.

Quem pensa que não faz nada de importante na internet não entende que também está em perigo. Para um atacante, o menor deslize pode ser suficiente para obter acesso a toda a sua vida digital. E é fácil encontrar as brechas. Mesmo assim, a maioria das pessoas ainda usam senhas inseguras ou hábitos que as tornam vítimas muito fáceis.

A boa notícia é que é fácil se proteger na internet, mais do que podemos imaginar. O mais difícil é mudar os hábitos e começar a seguir os conselhos dados. O projeto Security Checklist, que é open-souce, oferece uma lista de conselhos e práticas que deveríamos seguir.

Você pode assinalar as tarefas conforme você vai completando cada uma delas, sem falar nos demais programas complementares que podem ajudar nessa segurança.

Nesse post, vamos reforçar esses conselhos.

 

 

Use um gerenciador de senhas

Para quem realmente não quer se dar ao trabalho de criar senhas complexas para cada um dos seus serviços, pode criar apenas uma senha forte para o gerenciador, e deixar que o mesmo crie de forma automática as demais senhas reforçadas. É uma medida altamente recomendada.

 

Criar um código difícil para o desbloqueio do smartphone

Você até pode complicar as coisas para você no começo, mas em compensação você ainda pode aprender com o tempo. Já os alheios dificilmente vão conseguir desbloquear o seu smartphone nessa primeira barreira. Para quem tem amor à sua privacidade, é melhor seguir esse conselho.

 

Use a autenticação em dois passos

Nunca deixe todos os ovos em uma cesta. Sempre use um segundo mecanismo de confirmação de acesso para aquela conta ou serviço, pois assim você tem um maior controle sobre as suas atividades online, reduzindo as chances de uma eventual invasão de conta e vazamento de dados.

 

Codifique os seus dispositivos

Em caso de perda, roubo ou dano mais sério ao seu dispositivo, é fundamental você manter tudo codificado. Você não quer que o cara da assistência técnica tenha acesso aos seus dados mais sensíveis para lhe extorquir depois, não é mesmo Carolina Dickman?

 

Mude a DNS

Não é um processo tão complicado de qualquer pessoa fazer, e além de oferecer em alguns casos uma maior estabilidade e velocidade de acesso, a mudança da DNS reforça a sua privacidade online em situações mais complexas. Vários tutoriais na internet mostram como você pode realizar essa alteração.

 

Use uma VPN

Usar uma rede privada não ajuda apenas no caso de você querer assistir ao catálogo da Netflix de outros países. Ela também impede a identificação do seu local de acesso de origem para outros sites e usuários maliciosos, e é mais uma linha de defesa para garantir a sua privacidade online.

 

Use um navegador web centrado na privacidade

O Chrome coleta os seus dados o tempo todo. Se você se preocupa com isso, quem sabe não é a hora de testar outras alternativas que prometem ser menos intrusivas, como o Firefox ou o Brave. São browsers igualmente competentes, mas declaradamente centrados na privacidade do usuário.

 

Use um buscador centrado na privacidade

Eu nem preciso dizer que o Google Search fica com todas as suas buscas de presente, coletando o máximo de dados dos resultados que você seleciona na pesquisa. Aqui, o mais recomendado, de longe, é o DuckDuckGo, que se compromete a descartar os resultados das buscas realizadas nele tão logo você fecha a página do seu navegador web.

 

Use um provedor de e-mail seguro

Gmail ou Outlook não se destacam positivamente no que se refere à segurança dos dados do usuário. Existem alternativas mais confiáveis, como o ProtonMail ou o FastMail, com ferramentas específicas para um maior anonimato dos dados trafegados entre as mensagens enviadas e recebidas. Vale a pena dar uma chance.

 

Verifique as permissões que os aplicativos usam

Os dois principais sistemas operacionais móveis do mercado, iOS e Android, contam com sistemas de permissões que limitam o que os aplicativos podem acessar. Mas é possível que tais permissões tenham mudado, ou que foram aprovadas sem você saber. Remova aplicativos que pedem permissões para recursos que não são necessários para o seu perfeito funcionamento.

 

Apague os metadados de suas fotos

Muitos usuários não sabem, mas alguns aplicativos de câmera de smarpthones podem integrar automaticamente nas imagens dados como data, hora e local de registro da foto. Configure o seu aplicativo de câmera para que esses metadados não sejam gerados e integrados no dispositivo para reforçar a sua privacidade.

 

Verifique as configurações nas redes sociais

Certifique-se que suas redes sociais estão corretamente configuradas: uma senha forte, a verificação em dois dados e desativar a geolocalização são as dicas básicas e obrigatórias para reforçar a segurança de sua conta e aumentar a privacidade de acesso.

 

Use aplicativos de mensagens cifradas

Nem todos os aplicativos de mensagens são iguais. Cada vez temos mais aplicativos que codificam as nossas mensagens, mas salvam o código de cifrado para resgatar e ler as mensagens. Aplicativos como o Signal, centrado na privacidade, pode proteger melhor os seus dados do que as soluções que hoje estão no mercado.

 

Cuidado com o phishing

O phishing é uma técnica consistente na hora de enganar usuários, fazendo com que eles acreditem que estamos falando ou se comunicando com uma pessoa quando na verdade não é. Os e-mails que você recebe se passando pelo seu banco é o exemplo mais clássico. Jamais entregue seus dados quando solicitados por e-mail, ou clique em links em e-mails suspeitos.

 

Mantenha os seus dispositivos atualizados

Não existe sistema operacional infalível (por mais que a Apple tente convencer você do contrário). É inevitável encontrar bugs de segurança em seu sistema, e é fundamental que as empresas desenvolvem atualizações rapidamente. E que você instale as atualizações rapidamente também. De nada vale todos os conselhos acima se o seu dispositivo está desatualizado.

 

Via Security Checklist