A Apple anunciou na WWDC 2019 a nova versão do seu sistema operacional para computadores, o macOS Catalina. O software traz uma série de novidades que entregam uma maior produtividade aos seus usuários, mas alguns recursos são claramente pensados em uma melhor interação com outros dispositivos do seu ecossistema, especialmente o iPad.

Uma nova função chama a atenção nesse aspecto: a Sidecar. Ela permite que um iPad seja utilizado como tela secundária para diferentes atividades, aumentando a produtividade de usuários dos segmentos criativos, de produção até de programação.

Alguns rumores indicavam que a Apple poderia incorporar essa funcionalidade no macOS, e agora sabemos que os rumores estavam corretos. Essa é uma boa notícia para aqueles usuários que não precisam investir dinheiro em um segundo monitor, pois pode utilizar o tablet para essa função. Sem falar que essa é uma segunda tela com touch funcional, algo muito bem vindo, pois aproveita todo o potencial do tablet (que agora tem o iPadOS).

Porém, nem tudo são flores nessa vida. Nem todos os Macs serão compatíveis com o novo recurso. A Apple ainda não revelou os detalhes, mas o desenvolvedor Steve Troughton-Smith largou na frente, e encontrou uma lista de computadores Mac que serão compatíveis com o Sidecar.

 

 

Lista de computadores Mac compatíveis com o Sidecar

 

iMac de 27 polegadas (2015 ou superior)
MacBook Pro 2016 (ou superior)
Mac mini 2018 (ou superior)
Mac Pro de 2019
MacBook Air de 2018
MacBook de 2016

 

É importante lembrar que a atualização do macOS Catalina será compatível com computadores Mac de 2012 em diante. Porém, por algum motivo (que esperamos que seja explicado pela Apple em algum momento no futuro), os modelos mais antigos não serão compatíveis com esta funcionalidade.

O Apple Sidecar é mais um sinal de convergência das plataformas da Apple, reforçando o conceito de ecossistema entre os seus produtos, apesar da empresa surpreender com a estratégia de lançar sistemas operacionais dedicados para diferentes categorias de produtos. Eu imaginava um software só gerenciando tudo no futuro. Pelo visto, isso é algo bem difícil de acontecer nesse momento.

 

Via @StroughtonSmith