Os efeitos da recarga rápida na saúde da bateria dos smartphones | TargetHD.net
TargetHD.net | Notícias, Dicas e Reviews de Tecnologia Os efeitos da recarga rápida na saúde da bateria dos smartphones | TargetHD.net Press "Enter" to skip to content
Wetten.com Brasil Apostas
Você está em | Home | Dicas, Truques e Macetes | Os efeitos da recarga rápida na saúde da bateria dos smartphones

Os efeitos da recarga rápida na saúde da bateria dos smartphones

Compartilhe

Existe uma corrida entre os fabricantes de smartphones para entregar um smartphone que conte com a maior autonomia de bateria possível e, ao mesmo tempo (se possível), a recarga mais rápida possível deste componente. Porém, não podemos ignorar que esses aspectos combinados podem entregar efeitos colaterais sérios ao dispositivo.

Neste ponto, chegou a hora de mostrar de forma mais clara quais são os efeitos da tecnologia de recarga ultrarrápida de bateria nos smartphones, pois para muitos usuários a questão da degradação da bateria com o passar do tempo é algo que precisa ser evitado a todo custo.

 

 

 

A pressa pode ser inimiga do smartphone neste caso

 

 

Carregar uma bateria de 2.500 mAh é algo bem diferente do que carregar uma bateria de 6.000 mAh. Dependendo da velocidade do carregador, o processo pode levar muitas horas, deixando a impressão que essa recarga pode ser uma experiência torturante e interminável.

Por isso, as tecnologias de recarga rápida são necessárias, por mais que os efeitos colaterais sejam sentidos. É melhor você aceitar a realidade que a bateria do seu smartphone vai recarregar 100% em no máximo uma hora e perder a sua vida útil com o passar do tempo do que ter que esperar várias horas para esse processo acontecer.

O problema é que, em um curto espaço de tempo, os carregadores que antes eram de 18W hoje podem chegar nos 200W ou mais. Algo surreal, mesmo considerando todo o avanço tecnológico que testemunhamos nos últimos anos.

Uma coisa que não pode ser ignorada (pois é uma verdade inescapável) é que a recarga rápida pode e vai danificar a bateria em um tempo muito menor do que o processo de recarga em tempo normal. Afinal de contas, você está colocando mais energia em menos tempo, e a bateria vai pagar o preço desse processo.

Vamos pegar como exemplo o Xiaomi 11T Pro, que vai chegar ao mercado com uma recarga de 120W via cabo. Como os usuários estão preocupados com essa degradação, a empresa já explicou que os usuários poderão esperar uma capacidade de bateria de pelo menos 80% depois de 800 ciclos de recarga (ou aproximadamente dois anos de uso).

Pode não parecer muita coisa, mas na prática, perder apenas 20% da capacidade total da bateria do smartphone em apenas dois anos é pouco. É a média de perda de autonomia de bateria registrada pela grande maioria dos telefones disponíveis no mercado, e no caso do Xiaomi 11T Pro, este é um dispositivo de alto desempenho, o que naturalmente exige mais da bateria.

 

 

 

Então.. o que fazer para evitar a degradação da bateria?

 

 

A Xiaomi repete o conselho de vários outros especialistas em tecnologia. Quando você deixar o smartphone carregando durante a sua sagrada noite de sono, deixe o dispositivo conectado em um carregador lento, justamente para preservar a vida útil da bateria a longo prazo.

É uma relação matemática, praticamente: um carregador por cabo de 65W faz com que a bateria do dispositivo só perca 9% de sua capacidade depois de 800 ciclos de recarga. Agora, imagine o que um carregador de 18W pode fazer pelo seu telefone? É só fazer as contas.

No final das contas, o senso comum pode ser decisivo para ajudar a manter a vida útil da bateria dos smartphones. Isso, e o saber usar o carregador rápido quando você realmente precisa: naqueles minutos de pausa do trabalho ou durante a hora do almoço.

E, ainda assim, a bateria do smartphone precisa estar próximo dos 20% de autonomia para essa recarga rápida realmente valer a pena.


Compartilhe