Os smartphones estão ficando cada vez mais caros, e não por causa do maior nível de inovação, mas também pelo aumento do preço dos componentes. Os modelos top de linha superaram a casa dos 1.000 euros iniciais, e está cada vez mais difícil adquirir um produto dentro dessa categoria.

Agora, ficamos sabendo sobre os custos de fabricação do Samsung Galaxy S10+, um dos mais novos membros dessa categoria de produtos, descobrindo também o quanto que a Samsung está lucrando com o dispositivo.

Vale lembrar que o preço inicial sugerido do Galaxy S10+ lá fora é de 1.009 euros para o modelo com 8 GB RAM + 128 GB. E, de acordo com o TechInsights, o preço de fabricação desse smartphone é de US$ 420, ou 370 euros.

Ele é apenas 7 euros mais barato nos custos de fabricação em relação ao iPhone XS Max. Algo curioso, já que a Apple depende de terceiros para fabricar os seus produtos, incluindo a própria Samsung, que fornece componentes como processador, tela e memórias.

 

 

Nos 370 euros dos custos de fabricação do Galaxy S10+ estão incluídos todos os componentes do smartphone, como câmeras, tela, processador, bateria, placa-mãe e outros. Tela, câmeras e processador/modems são os itens mais caros (US$ 86, US$ 70 e US$ 56, respectivamente). De novo: todos esses itens são fabricados pela própria Samsung.

Já sobre os demais componentes, a maioria não chega a superar os US$ 50, com exceção das memórias (que também são fabricadas pela Samsung). Aos 370 euros, devemos somar depois o valor de I+D, gastos em publicidade e diferentes impostos de cada país. Todos esses itens adicionais podem fazer com que esses custos acabem sendo o dobro do inicialmente estimado.

No final das contas, podemos concluir que, nesse momento, Samsung e Apple são as únicas empresas que operam com margens de lucro na casa dos 30% em seus smartphones top de linha. E é por isso que esses dispositivos chegam ao mercado custando mais de 1.000 euros.

 

Via TechInsights