O Mega Drive foi lançado no Japão em 29 de outubro de 1988, mas só desembarcou nos Estados Unidos em 1989. No Brasil, o lançamento aconteceu em 1990. Marcou um salto técnico gigantesco em relação ao Master System e foi um dos consoles mais populares da história.

Sua superioridade técnica em relação à geração anterior era percebida quando rodava jogos do porte de Streets of Rage 2, com gráficos elevados para a sua época, uma qualidade sonora impressionante e uma trilha sonora viciante.

 

 

Também era possível constatar o seu poderio técnico quando se valia de um adaptador para rodar os jogos do Master System. Mesmo assim, ele não ficava no nível do Super Nintendo nesse aspecto (o Mega Drive exibia 128 cores simultaneamente, enquanto que o SNES exibia 256 cores – e este é apenas um exemplo).

 

 

De qualquer forma, foi revolucionário da sua maneira. Utilizava cartuchos como a maioria dos seus concorrentes na época, mas apostou no Mega CD para jogos com maior capacidade de armazenamento de dados, melhor qualidade de som e menor preço.

 

 

Para os jogos de luta (Super Street Fighter II, por exemplo), o Mega Drive recebeu um controle de seis botões como alternativa ao controle original, que contava com três botões. O chip de apoio com o SEGA Virtual Processor permitiu a execução de jogos em 3D como Virtua Racing e Starfox, entre outros.

 

 

O Mega Drive 32X foi uma espécie de mix do SVP com o Mega CD. Era instalado no slot para cartuchos do console, mantendo ainda o formato para os jogos físicos. Era uma forma de dar uma sobrevida ao console, dando um pouco mais de tempo para o desenvolvimento do SEGA Saturn, mas no final, decepcionou.

 

 

Entre erros e acertos, o Mega Drive foi um sucesso. Não derrotou o Super Nintendo no duelo dos consoles de sua geração, mas superou as 30 milhões de unidades vendidas, em uma época onde os videogames não tinham metade da popularidade que contam hoje.

Vários jogos do console receberam versões multiplataforma, onde em muitos casos superavam a versão de 16 bits da Nintendo, por conta da maior potência do seu CPU. Vários desses jogos são lendários até hoje.

 

 

Sem falar que o Mega Drive apresentou soluções tecnológicas que iam além do mundo dos jogos, como por exemplo o MegaNet, um modem que oferecia acesso à internet via linha telefônica, bem nos seus primórdios.

Bons tempos que não voltam mais.