O mercado de smartphones ficou mais do mesmo, com todo mundo imitando o notch do iPhone X. Se você quiser algo um pouco diferente, precisa recorrer ao Galaxy S9 ou S9+… que é igual ao S8 do ano passado.

Logo, é normal que todo mundo fique empolgado com propostas como o Oppo Find X e Vivo NEX. São dispositivos realmente inovadores, que tentam apresentar propostas de futuro.

Porém, são dois smartphones que são mais conceitos do que qualquer outra coisa. Ótimas ideias que normalmente nunca chegariam ao mercado.

 

 

O design do Oppo Find X é quase inédito. Ele lembra o design do Galaxy S9, de forma irremediável. O seu diferencial é o seu mecanismo que entrega quase 94% de tela na parte frontal, superando qualquer concorrente nesse aspecto. É um modelo quase sem bordas, com exceção da parte inferior.

A câmera frontal oculta do Oppo Find X só é possível por um mecanismo inovador, que a deixa oculta na maior parte do tempo. Além disso, não há leitor de impressões digitais aparente no dispositivo, e para liberar a câmera, você desliza com o dedo na tela para o mecanismo que a oculta em seu corpo ser acionado.

 

 

É um conceito futurista, mas que pode ser desastroso se você deixar o smartphone cair ou deixar entrar muitos resíduos dentro do mecanismo. Ele simplesmente deixa de funcionar nos dois casos. E, por ser uma parte móvel, o mecanismo muito provavelmente vai começar a falhar.

Sempre é possível encontrar um case que protege o smartphone, mas… o mecanismo se expande para cima! E agora?

Logo, por mais inovadores que o Oppo Find X e o Vivo NEX se apresentem, eles contam com problemas conceituais, que precisam ser melhorados ou resolvidos. Até lá, a monocelha vai reinar, enquanto não alcançamos os resultados de tela infinita real que tanto sonhamos.