O OnePlus 7 está entre nós! O modelo padrão entre os tops de linha da OnePlus é uma clara evolução do OnePlus 6T, com pontos bem interessantes a serem abordados. Ele é idêntico ao seu antecessor na estética, mas muito diferente no interior, mostrando uma clara evolução técnica que vai chamar a atenção dos entusiastas em tecnologia.

 

 

Um design com (mini) notch

 

 

São poucas as diferenças entre o OnePlus 7 e o OnePlus 6T, com uma frontal quase sem bordas mas com um pequeno notch em forma de gota. Todo o dispositivo está envolto em um cristal com um acabamento em degradê que deixa um aspecto fantástico.

Outro destaque muito positivo nesse modelo é a presença do interruptor Alert Slider, para ativar o modo não perturbe, e a presença do conector USB-C ao lado de um conector de 3.5 mm para fones de ouvido, algo que outros fabricantes entendem que não é possível entregar tal combinação para o usuário.

 

 

Mais potente do que nunca

 

 

O OnePlus 7 dá o esperado salto para o Snapdragon 855, que entrega um desempenho 45% melhor com uma eficiência 28% maior que o Snapdragon 845. A GPU Adreno 640 oferece um aumento de 20% no desempenho, além de ser 30% mais eficiente nos aspectos energéticos.

Sua bateria mantém os 3.700 mAh, e deve entregar pelo menos um dia de uso para alimentar uma tela de 6.41 polegadas com cristal Gorilla Glass 6. A bateria conta com suporte para recarga rápida, com o sistema Dash Charging, mas nada de recarga sem fio nesse modelo.

 

 

Outra mudança importante no interior do dispositivo afetam o leitor de digitais abaixo da tela, que está mais rápido e preciso graças a um ‘objetivo de três elementos’ e um sensor de maior tamanho, trabalhando com algoritmos mais eficientes.

O som também foi melhorado, com um conjunto de dois alto-falantes com um amplificador mais potente. A parceria com a Dolby refinou o comportamento dos alto-falantes.

 

 

O software também importa

 

 

O OxygenOS baseado no Android 9.0 Pie volta a ganhar o protagonismo, sendo esta uma das ROMs mais valorizadas pelos seus usuários justamente por causa de sua pouca ‘interferência’ com a plataforma Android.

As novidades no software ficam por conta do “RAM Boost”, um sistema de inteligência artificial que aprende com os hábitos do usuário, prevendo os aplicativos mais utilizados para deixar os softwares na RAM antes de sua execução, o que permite o acesso mais rápido.

 

 

Tal recurso também ajuda a ter mais aplicativos abertos em segundo plano, mas sem afetar o desempenho do OnePlus 7. O recurso Screen Recorder permite a captura do que é exibido na tela em uma resolução 2340 x 1080 pixels, com gravações infinitas e adição de comentários de voz através do microfone.

Outro recurso de destaque é o Zen Mode, que é uma versão do ‘bem estar digital’ presente no Android 9.0 Pie, monitorizando o uso do dispositivo para minimizar o uso de determinados aplicativos. Esse modo desativa as principais funções do telefone por 20 minutos, e nesse período só é possível realizar chamadas de emergência, receber chamadas ou registrar fotos.

 

 

48 MP podem ser suficientes para tudo

 

 

O OnePlus 7 possui um sistema de câmera dupla, com total protagonismo para o sensor principal de 48 MP (Sony IMX586, f/1.7), com suporte para estabilização digital em apoio com o sensor ótico. O segundo sensor possui 5 MP (f/2.4), e o flash LED Dual está abaixo dos dois sensores.

Na câmera frontal, temos um sensor Sony IMX471 de 16 MP (f/2.0), que pode gravar vídeos a 1080p @ 30 fps, além de ser compatível com o sistema de reconhecimento facial. A OnePlus também criou a tecnologia UltraShot que, combinado com o modo HDR+ com a chamada Super Resolution, que combina a informação de várias capturas em apenas um a imagem, em um resultado com maior riqueza de detalhes.

O novo OnePlus 7 está disponível em duas versões. Chega ao mercado em 4 de junho e tem os seguintes preços:

OnePlus 7 (6/128 GB) Mirror Gray: 559 euros
OnePlus 7 (8/128 GB) Mirror Gray: 609 euros