Press "Enter" to skip to content
Você está em | Home | Inteligência Artificial e chatbots | Onde o GPT-4o mais me surpreendeu

Onde o GPT-4o mais me surpreendeu

Compartilhe

O GPT-4o chegou chutando bundas… e copiando a voz da Scarlett Johansson na cara dura. E no meio de tantas polêmicas atraídas por Sam Altman, alguns holofotes sobraram para o ChatGPT, que trouxe novidades e boas surpresas.

Sou defensor do uso da Inteligência Artificial para uma maior produtividade. E passei as últimas semanas testando a nova versão da plataforma da OpenAI. E ela quase me faz esquecer que a empresa está cheia de problemas e brigas.

Agora que temos o GPT-4o no ChatGPT, muitos seguem se perguntando se ainda vale a pena pagar pelo ChatGPT Plus. E algumas coisas da nova versão gratuita desse chatbot que me levam a crer que queimar dinheiro nessa plataforma é o mesmo que jogar dinheiro fora.

Porque o novo ChatGPT gratuito está muito melhor do que antes. E apresento argumentos consistentes sobre essa afirmação

 

Ele é mais rápido

O tempo de resposta do GPT-4o caiu bastante, incluindo na versão gratuita. A diferença para o GPT 3.5 é gritante, e a melhora na experiência de uso é perceptível.

Para quem está pagando o ChatGPT Plus, vai sim ter respostas mais rápidas, o que pode ser bom para quem precisa executar tarefas mais complexas. Porém, a versão gratuita ainda é mais do que suficiente para a maioria das pessoas que realizam consultas banais no dia a dia com o ChatGPT.

 

Ele se conecta à internet

Diferente do GPT 3.5, o GPT-4o pode se conectar à internet para buscar informações atualizadas em tempo real, reduzindo drasticamente o problema de informações desatualizadas ou fora de contexto da versão anterior.

O problema no momento é que algumas respostas que o GPT-4o encontra na internet são de fontes pouco confiáveis ou igualmente fora de contexto, o que exige dos usuários o bom senso e até uma verificação online com fontes confiáveis antes de utilizar o material produzido pelo chatbot.

Aqui, a regra é a mesma: quanto maior for o volume de informações que você vai oferecer nos comandos, menores são as chances de erro com o ChatGPT.

 

Interação por voz mais rápida

O GPT-4o também entrega respostas melhores e mais rápidas quando interagimos por voz com ele, tornando a conversa bem natural. Neste aspecto, é impressionante ver o quanto o chatbot avançou em pouco espaço de tempo.

No entanto, até mesmo as interações por voz contam com limites. A velocidade máxima da conversa está limitada aos usuários da versão Plus (que pagam por esses benefícios), o que não chega a ser um problema para quem usa o ChatGPT de graça.

Aliás, recomendo que você faça o teste com o modo de interação por voz do ChatGPT. É uma das formas mais interessantes, divertidas e intuitivas que existem para interagir com a Inteligência Artificial.

 

Capacidade multimodal

O novo GPT-4o é nativamente multimodal, ou seja, é capaz de processar diferentes tipos de dados em suas interações. Essa é uma das novidades mais bem recebidas pela comunidade de usuários pois permite expandir as possibilidades de uso com a ferramenta em dispositivos com características completamente diferentes.

O ChatGPT agora pode trabalhar com textos, imagens e áudios que serão analisados. Esse material pode entregar uma respota mais abrangente, o que deixa a IA da OpenAI ainda mais inteligente que o normal.

 

Acesso gratuito aos GPTs

Além do próprio ChatGPT, o GPT-4o também oferece o acesso gratuito a outros GPTs, que nada mais são do que versões específicas da Inteligência Artificial preparados para tarefas especializadas.

Dessa forma, os usuários (inclusive da versão gratuita do ChatGPT) poderão realizar tarefas complexas com elevado grau de transição e nem pagar pela Versão Plus por isso.

E ainda dizem que ter coisas de graça não é algo tão positivo assim…

O GPT-4o atualizou muito bem o ChatGPT, deixando a ferramenta muito mais útil para os usuários mais casuais. Nada impede que você pague pelo ChatGPT Plus, mas… sinceramente… vindo de alguém que usa a IA todos os dias, eu realmente não vejo a menor necessidade de colocar a mão no bolso ou no cartão de crédito neste momento.


Compartilhe