Compartilhe

Um dado interessante e inspiração para debates acalorados: pelo menos 20 milhões de gamers de PC farão a mudança para os consoles em 2022. Quem prevê esse futuro é o relatório sobre o cenário dos videogames assinado pela Jon Peddie Research.

O argumento para esse futuro é o menor custo de entrada de um console básico e o seu desenvolvimento especializado, que abre as portas para jogadores de todas as idades e gostos. Também leva em conta a aproximação do console para o PC em termos técnicos, especialmente nas últimas gerações onde o hardware básico é idêntico na arquitetura em relação a um computador pessoal.

Sem falar na expectativa de um maior número de jogos exclusivos para os consoles, especialmente nas plataformas da Sony e da Nintendo. Os jogos por streaming (Google Stadia, Microsoft xCloud, etc) podem resultar em um menor número de dispositivos, mas tanto nos PCs como nos consoles.

Se o número de consoles pode ser menor, também não há necessidade de comprar um hardware caro e top de linha para jogos de PC. Afinal, os jogos estarão na nuvem. É o mesmo conceito aplicado hoje para as Smart TVs: por que pagar a mais por um software integrado na TV quando o investimento em um Google Chromecast pode ser bem menor?

A tendência de futuro é que muita gente vai se dar por feliz em ter um controle para conectar na TV ou no dispositivo para jogar via internet a partir de qualquer lugar do planeta.

 

 

Jogar no PC ou no console?

 

O futuro não está escrito nesse segmento. Há muitas áreas cinzas que podem ser exploradas.

Por um lado, o PC não está morto e nunca estará. Ele é insubstituível em muitos cenários, e mesmo sendo muito mais caro que um console, a sua experiência técnica é superior. E qualquer computador gaming serve para os demais usos informáticos.

Sobre a maior exclusividade dos jogos nos consoles, esse é um aspecto mais comercial do que técnico, e pode mudar de tempos em tempos. A Microsoft segue a clara estratégia para levar os jogos do Xbox para os PCs com Windows, e a maior presença do download digital afeta consoles e PCs da mesma forma.

E para você? Onde é melhor jogar? Nos consoles ou nos PCs?

 

Via Jon Peddie Research


Compartilhe