Press "Enter" to skip to content
Você está em | Home | Software | O Windows 11… é mesmo um fracasso?

O Windows 11… é mesmo um fracasso?

Compartilhe

O Windows 11 foi lançado com requisitos mínimos elevados, causando polêmica e revolta entre os usuários. Muitos computadores capazes de rodar o Windows 10 de forma eficiente foram considerados obsoletos pelo novo sistema.

Para muita gente, a Microsoft deu a entender que estava trabalhando com a obsolescência programada, encontrando no novo sistema operacional uma maneira de obrigar os usuários a investir em um novo computador.

O movimento jogou contra o Windows 11, que hoje é considerado “um fracasso” em sua adesão, além de ter uma visibilidade afetada por quais decisões. Será que essa versão é tão ruim como pregam ao redor do mundo?

 

Um fracasso na adesão

Desde seu lançamento em outubro de 2021, a adoção do Windows 11 tem sido notavelmente lenta. Em comparação, o Windows 10 superou o Windows 7 em menos de um ano, enquanto o Windows 11 ainda não conseguiu ultrapassar o Windows 10 em quase três anos.

A taxa de adoção do Windows 11 é três vezes mais lenta do que a do Windows 10. Mesmo com a oferta de atualização gratuita desde o Windows 7, os requisitos elevados impediram uma transição rápida.

Muitos PCs que funcionavam bem com o Windows 10 não atendem aos requisitos do Windows 11, como o chip de segurança TPM e processadores modernos. E aqui está o principal ponto de polêmica do sistema operacional.

Mesmo com o TPM, muitos usuários entenderam que a Microsoft não tinha uma justificativa válida para exigir a troca dos equipamentos. E a imposição dessa exigência ajudou a construir essa antipatia com o Windows 11.

Mas não é apenas o preconceito contra uma plataforma excludente que respalda o fracasso do Windows 11.

 

Mudou pouco e trouxe muitos problemas

O Windows 11 não conseguiu se diferenciar do Windows 10 o suficiente para justificar a migração. A percepção de que o Windows 11 é inferior ou menos maduro também prejudicou sua imagem junto aos usuários.

Os gamers foram o que mais reclamaram do Windows 11, com queda de performance em jogos mais exigentes e travamentos aleatórios nos títulos em execução.

Os usuários que trabalham com a mobilidade de forma prioritária também reclamaram das mudanças, alegando que o Windows 10 entregava uma maior autonomia de bateria e melhor gestão de recursos em função da autonomia energética.

Outro sério problema do Windows 11 está nas atualizações mal polidas e erros frequentes contribuíram para a má reputação da versão do sistema operacional. Até mesmo novas funções como o recente Recall foram mal recebidas devido a preocupações com a privacidade.

A interface do Windows 11 foi considerada um retrocesso em comparação ao Windows 10. Apesar de sua customização, muitos usuários acharam que a nova proposta afetou negativamente sua produtividade inicial.

 

Por que mudar para o Windows 11?

Em PCs modernos, o Windows 11 funciona bem, mas em sistemas mais antigos ou menos potentes, o desempenho é inferior ao do Windows 10. A experiência do usuário varia significativamente com a configuração de hardware, o que pode indicar (de novo) um movimento da Microsoft para estimular a venda de novos computadores ou na atualização do hardware com o investimento em componentes.

O principal motivo para a mudança para o Windows 11 é o fim do suporte ao Windows 10, que se encerra em outubro de 2025. O problema é que a versão anterior é o novo Windows XP, já que tem muitas pessoas utilizando essa versão, sem pensar na possibilidade de troca enquanto ainda podem utilizar o velho software.

Aliás, muitos usuários ao redor do mundo ainda usam o Windows 7 e o Windows XP, pelos mais diferentes motivos. Isso indica que a adoção do Windows 11 provavelmente permanecerá lenta, com dificuldades em convencer os mais resistentes.

De qualquer forma, a decisão de migrar para o Windows 11 deve considerar os requisitos de hardware e a necessidade de adaptação à nova interface, mas principalmente o suporte de software para proteger o equipamento e os dados dos usuários das mais diferentes ameaças digitais.

Ao mesmo tempo, os usuários mais resistentes precisam também levar em consideração as especulações sobre o lançamento de um futuro Windows 12, que poderia corrigir os erros do Windows 11. Quem sabe vale a pena esperar pelo lançamento dessa versão.

Não é de se duvidar que o Windows 12 realmente vai aparecer, já que a Microsoft pode usar essa oportunidade para melhorar sua imagem e atrair novos usuários.


Compartilhe