Os rumores sobre a chegada do suporte de teclado e mouse ao Xbox One existem a algum tempo, e tal compatibilidade parece estar mais próxima do que nunca, com estreia que pode acontecer ainda em 2018.

Assim, os gamers podem utilizar esse método de controle alternativo em todos os tipos de jogos. Por outro lado, isso pode gerar problemas em relação aos controles tradicionais, onde os desenvolvedores teriam que contornar todo o processo de adaptação para os novos formatos.

Fontes indicam que a Microsoft está trabalhando com os desenvolvedores para mostrar sus planos de integração do suporte para teclado e mouse. Tais planos estariam em desenvolvimento com a Razer, que seria parceira no lançamento de um pack de teclado e mouse, o Razer Turret.

Na apresentação, também se fala do suporte ao sistema de iluminação Razer Chroma RGB para o Xbox One em diversos jogos, de forma similar ao que acontece hoje no PC.

Os desenvolvedores também foram orientados sobre os mecanismos para evitar a vantagem competitiva que é jogar com teclado e mouse par ao jogo online em relação ao controle tradicional do Xbox One.

 

 

São os desenvolvedores que vão decidir como aproveitar esse suporte, forçando que no jogo online os mecanismos de matching que ajustam níveis e condições de jogo sejam os mesmos para o uso de diferentes periféricos.

A Microsoft recomendou a monitorização de como os gamers de teclado e mouse e de controle fazem os ajustes necessários aos sistemas de busca de rivais para partidas equilibradas.

O problema da vantagem do uso do teclado e mouse frente ao controle já causou polêmicas no passado. Determinados desenvolvedores de jogos e usuários consideram o uso de alguns periféricos modificados
e adaptados para simular o teclado e o mouse como uma espécie de ‘trapaça’, especialmente em jogos FPS.

Ali, já ficava claro que era difícil equilibrar as coisas, e alguns entendem que deveria ser proibido o tipo de suporte para determinados periféricos que transformavam cliques de mouse e teclado em ações que seriam feitas com apenas uma das mãos.

Já Phil Spencer (da Microsoft) entende que são os desenvolvedores quem devem decidir isso, e estabelecer as regras de sua implementação.

Vamos ver como Microsoft e desenvolvedores vão contornar esses problemas, impedindo as trapaças e deixando as partidas online equilibradas. Parece que todos os mouses USB com ou sem dongles da Microsoft terão o suporte para o Xbox One, mas em outros modelos o suporte não está garantido se o Bluetooth ou USB forem personalizados, o que poderia apresentar conflitos diversos.

 

 

A Microsoft apresentou uma API para detectar acessórios que podem emular entradas de controle para obter vantagens nos jogos (por exemplo, sistemas que permitem apontar e disparar de forma autônoma, sem intervenção do usuário nos jogos FPS).

A atualização de outono do Windows 10 (que também afeta o Xbox One), a RedStone 5, deve trazer tal suporte. Também será interessante ver como tudo isso vai afetar o catálogo de jogos e aplicativos do Xbox One. De repente, o console pode ser uma via para os jogos de estratégia e outros títulos onde o controle é pouco prático, mas também podem chegar mais aplicativos universais para o Xbox One, para que mesmo se comporte de forma mais parecida com um PC convencional.

 

Via WindowsCentral