Um relatório da empresa de gestão de banda larga Sandvine revela que a Netflix já é a empresa de streaming que mais contribui para o volume de tráfego de download em todo o mundo, superando o YouTube e ficando com 21.3% de mercado.

Em 2017, a Netflix adicionou 27 milhões de novos assinantes, sendo assim a líder de mercado global, com 26.58%. Hoje, o streaming de vídeos é o principal elemento de consumo de dados na internet, seguido pela navegação web e os videogames.

Ainda de acordo com o estudo, os serviços de download direto ainda ocupam uma grande largura de banda, superando as plataformas legais de streaming. Ou seja, sites de torrents ainda consomem mais dados do que a HBO ou o Hulu, por exemplo.

Já o BitTorrent é o claro vencedor nos uploads, com 22% do mercado. Isso acontece porque os usuários enviam conteúdos exclusivos de diferentes plataformas de streaming, como Netflix, Amazon Prime Video, Hulu e HBO.

 

 

O relatório do Sandvine aborda os números de 2017, e deixa claro que a pirataria está bem longe de desaparecer. 7 milhões de usuários na América do Norte utilizam transmissões de TV pirateadas para o consumo de conteúdo multimídia.

O que o estudo deixa claro é que a desculpa dada por anos pelos membros do setor audiovisual não procede. O torrent ainda é forte e voltou a ganhar força, e a ausência de ampla oferta de conteúdo por streaming e dos preços de tais plataformas se tornarem cada vez mais altos resultou na volta do torrent, quando se pensou que o mesmo estava em extinção.

 

 

Mais empresas produzindo conteúdo exclusivo e disponível em uma única plataforma pode sair muito caro para o consumidor. Quem quer ver tudo vai ter que pagar uma nota preta.

Em resumo: a indústria do entretenimento, mais uma vez, se tornou a sua própria inimiga.

 

Via Sandvine