TargetHD.net | Notícias, Dicas e Reviews de Tecnologia O setor de eSports colocou o pé no freio | TargetHD.net Press "Enter" to skip to content
Wetten.com Brasil Apostas
Você está em | Home | Games | O setor de eSports colocou o pé no freio

O setor de eSports colocou o pé no freio

Compartilhe

Nos últimos anos, o setor de eSports cresceu de forma considerável. Eventos gigantescos, contratações milionárias e uma audiência enorme marcam a projeção de um esporte que hoje recebe o respeito da mídia, do público e da crítica.

Porém, a crise chegou para todo mundo. Todos os setores tiveram que colocar o pé no freio e apertar os cintos nos aspectos financeiros. E com o eSports não foi diferente: os grandes investimentos diminuíram, e o futuro se tornou incerto, em um cenário de bolha que pode estar prestes a estourar.

Vamos ver neste artigo os principais motivos para que as perspectivas de investimentos no eSports a curto prazo estão muito abaixo das expectativas. Tudo bem, o futuro ainda pode ser promissor para o segmento. Mas neste primeiro momento, os pontos de interrogação existem.

 

Os investimentos nos eSports caíram

Depois de anos recebendo dinheiro de forma desenfreada, os eSports não entregaram os retornos financeiros que as marcas e empresas esperavam. Os custos operacionais de equipamentos e competições são elevadíssimos, e a resposta comercial foi muito mais débil do que o que muita gente esperava.

Logo, o volume de investimentos nos eSports diminuíram de forma considerável, e o motivo para isso acontecer é algo mais evidente: a monetização não está a altura dos investimentos.

O resultado dessa queda de dinheiro investido no segmento se traduz na pior qualidade dos equipamentos e das competições. Se a tendência permanecer, as competições vão perder cada vez mais qualidade, e isso pode comprometer o segmento como um todo a longo prazo.

 

Os eSports se desgastaram

Anunciantes e patrocinadores alegam que o segmento de eSports está sofrendo de um certo desgaste de imagem, algo que precisa ser contextualizado para entender melhor essa afirmação.

A popularidade dos eSports neste momento está lá no teto (em partes, e eu vou escrever sobre isso daqui a pouco), mas os altos custos operacionais combinados com uma recessão econômica global começa a tirar o sono de muitas empresas (para não dizer todas).

Logo, investir dinheiro em um segmento comercial que dá um retorno mais limitado pode gerar desgaste a qualquer marca ou anunciante, mas não na sua visibilidade. O desgaste é no pior aspecto para qualquer investidor: no saldo bancário.

 

A palavra RECESSÃO assusta

Vivemos uma recessão econômica que se transformou em protagonista para a grande maioria das empresas e até mesmo pessoas ao redor do planeta.

Investidores, anunciantes e organizações de todas as categorias estão se preparando para um cenário econômico muito complicado em 2023, e com um eSports menos rentável em diversos aspectos, não dá para dizer que essas empresas estão considerando esse segmento como uma possibilidade de investimento a curto e médio prazos.

Ninguém está disposto a perder dinheiro nessa vida, principalmente em um momento em que tem menos dinheiro circulando por aí. E todas essas empresas terão que pensar muito bem em como vão conduzir os seus negócios a partir de agora.

 

E como está a audiência dos eventos?

Apesar de toda a popularidade, as audiências dos eventos de eSports estão caindo, e isso pode ser observado em diversas plataformas que exibem os eventos.

Tudo bem, ainda é uma audiência expressiva (considerando que estamos falando de pessoas jogando videogame por horas). Mas os eSports sofreram do mesmo efeito que todos os outros formatos de mídia passaram de um ano para cá: o fim da pandemia.

Com o mundo voltando para algo mais próximo do antigo normal, as pessoas voltaram a sair de casa para fazer outras coisas da vida. Algo que é justo e até normal, pois todo mundo ficou trancado em casa para se salvar.

Logo, quem é que vai querer ficar mais tempo sentado na frente da TV, do computador ou do smartphone para ver os torneios de eSports?

Isso mesmo: não é todo mundo.

 

As criptomoedas como grandes vilãs

Por último e não menos importante, o segmento de eSports encontrou nos criptoativos um inimigo inesperado, principalmente quando falamos das criptomoedas e compras de conteúdos em NFT.

Tudo bem, por mais que o cenário das criptomoedas não seja dos melhores (principalmente com os escândalos de fraudes fiscais recentes), muitos decidiram investir um bom dinheiro em um hardware que antes era utilizado pelos gamers e, neste momento, é voltado para quem tenta ficar rico com a mineração de criptoativos.

E o setor de eSports não está sabendo lidar com a perda de audiência e atenção para um segmento que, por mais problemático que aparenta ser, está chamando a atenção de muita gente.

Tudo isso não significa que o segmento de eSports vai desaparecer. Pelo contrário: é um setor muito popular dentro do mundo da tecnologia, e isso tende a perdurar a longo prazo.

Por outro lado, é fato consumado que o segmento teve que se ajustar à realidade, com uma euforia que naturalmente iria acabar depois de alguns anos com investimentos pesados e audiências que estavam batendo recordes a cada mês.

Agora, os eSports estão se adaptando à nova realidade de momento, em um período de recessão que pode ser considerado até natural. Quem souber gerenciar melhor a situação poderá encarar um futuro de crescimento mais sustentável e adequado.

Por outro lado, que não for capaz de se adaptar ao novo cenário ou realidade, muito provavelmente não vai conseguir enxergar a luz no fim do túnel.

E se essa luz vier, as chances de ser o trem vindo na direção contrária são enormes.


Compartilhe