Compartilhe

Isso já aconteceu pelo menos uma vez com todo mundo. Você responde a um e-mail que chegou e percebe que, em vez de clicar em “Responder”, clicou em “Responder a todos”. Como resultado, seu e-mail atingiu absolutamente todos os endereços do e-mail original. Algo catastrófico se, por exemplo, a correspondência original fosse endereçada a todos os funcionários de uma empresa.

Tal incidente é mais comum do que você pensa, e é tão chato quanto você pode imaginar. Em alguns casos extremos, pode até causar o caos, bloqueando servidores por causa da quantidade de e-mails e dias de trabalho perdidos excluindo mensagens.

Isso acontece em todos os lugares. Inclusive na Microsoft.

Para mais de 10.000 funcionários da Microsoft, a última tarde de quinta-feira passada (24) não foi produtiva, pois eles tiveram que lutar contra o seu gerenciador de e-mails e as milhares de mensagens recebidas. E o engraçado é que tudo começou na tentativa de fazer com que esses funcionários recebessem menos notificações.

 

 

Os e-mails “reply all” gerou o caos na Microsoft

 

 

Tudo começou com uma mensagem enviada para 11.543 funcionários da Microsoft, em particular para todos aqueles registrados na conta do GitHub da empresa. O GitHub é um site para hospedagem de software especialmente desenvolvido para projetos de software livre. A Microsoft é uma das empresas que mais contribui para esses projetos e, de fato, em 2018, comprou o GitHub e vem mantendo o serviço ativo até agora.

O objetivo do e-mail enviado em massa era para informar aos funcionários da empresa que eles poderiam configurar as suas contas para que eles não recebessem tantas notificações. Mas ironicamente, o efeito foi exatamente o contrário. Alguns funcionários não se sentiram bem recebendo este e-mail e responderam com perguntas e solicitações para serem removidos da rede. Mas, ao clicar em “responder a todos”, a mensagem chegou a todos os funcionários.

Aí, o caos ficou estabelecido. As mensagens de respostas, por sua vez, geraram mais mensagens de pessoas que queriam ser retiradas dessa cadeia. Imagine receber milhares de mensagens em sua caixa de entrada ao mesmo tempo, todas pedindo o mesmo. A situação evoluiu e se tornou um “meme” interno, com pessoas fazendo piadas que, é claro, atingiam todos os funcionários. Logo, as redes sociais foram preenchidas com reclamações do público, e até mesmo os poucos que saíram da lista de e-mails foram colocados de volta. Até vídeos foram publicados explicando como filtrar as mensagens na lista.

O engraçado é que esta não é a primeira vez que algo semelhante acontece na Microsoft. O “incidente de Bedlam” já é famoso na história da empresa. Isso aconteceu em 1997, quando os engenheiros da Microsoft que estavam testando o Exchange enviaram um e-mail para 25.000 funcionários. Isso, por sua vez, causou o envio de milhares de e-mails dos próprios funcionários. Cerca de 15 milhões e meio de e-mails foram enviados em apenas uma hora.

Os servidores não aguentavam o volume de mensagens e desligavam. Isso deixou a seção de serviços técnicos offline, o que piorou as coisas. Até hoje, a lista de discussão Bedlam DL3 faz parte da história sombria da empresa.

 

 


Compartilhe