O aumento do preço dos smartphones está fazendo com que as pessoas levem mais tempo para trocar de modelo. Por outro lado, o mercado de smartphones recondicionados cresceu de forma considerável, e dar uma segunda chance para smartphones usados é uma boa opção.

Porém, alguns modelos são velhos ou deteriorados demais para uma sobrevida. O que fazer com eles? Ainda restam alternativas antes dos dispositivos irem para o lixo.

Com tratamento adequado, 70% a 90% dos 50 milhões de toneladas de lixo eletrônico descartados todos os anos podem ser reutilizados. Desse modo, também evitamos que componentes altamente contaminantes sejam descartados na natureza.

Há duas opções de reciclagem.

A primeira delas é sem fins lucrativos, onde várias ONGs possuem diferentes planos de reciclagem. O dinheiro obtido pelo material extraído dos smartphones é doado para diferentes causas.

A Oxfam Intermon e a Anistia Internacional são duas dessas entidades. As empresas gestoras de resíduos avalia se os dispositivos podem ser reparados para uma segunda vida, com a doação dos lucros obtidos, ou se terão que ser reciclados. No segundo caso, os resíduos perigosos são gerenciados de acordo com as normas estabelecidas.

Agora, se você quer lucrar alguma coisa com o seu smartphone antigo, você pode vender para empresas que fazem essa mesma avaliação e gestão de resíduos. É uma alternativa ecológica e muito interessante para lucros mais rápidos. Nos dois casos, é possível que o dispositivo acabe sendo desmontado.

Ou você pode vender diretamente para outro usuário. Aqui, não se esqueça de resetar o smartphone para as configurações de fábrica antes de entregá-lo, para evitar que seus dados pessoais sejam comprometidos.

 

 

Outra alternativa é você dar um segundo uso para o telefone, como por exemplo transformá-lo em câmera de vigilância, ou reprodutor de conteúdo multimídia. Também pode ser o seu telefone secundário, levando o mesmo para locais onde você pode ser roubado ou perder o dispositivo, ou até mesmo como dispositivo reserva, caso o seu telefone principal sofra de alguma avaria.

Por fim, para evitar a obsolescência programada, é preciso ter em mente que, se o seu velho smartphone for reciclado, a desmontagem do mesmo é fundamental para que componentes degradantes sejam tratados com a devida atenção.

 

 

O Greenpeace tem uma campanha com o iFixit que mostra o grau de reparação e a facilidade com a qual se consegue componentes de smartphones, dependendo do modelo. É uma opção muito útil e complacente com o meio ambiente e com o nosso bolso.