Wetten.com Brasil Apostas
Home » Dicas, Truques e Macetes » O que significa o termo “smartphones de entrada”?

O que significa o termo “smartphones de entrada”?

Compartilhe

Antes de comprar um smartphone para chamar de seu, é preciso saber exatamente o que você quer e espera dele.

Os mais leigos podem se confundir com a questão do preço, e acabar investindo o seu suado dinheiro em um dispositivo que não atende de forma plena as suas necessidades.

Por diversas vezes ao longo desses anos, eu escrevi aqui no blog posts sobre smartphones de entrada, de linha média, top de linha e premium.

Mas nunca dediquei um tempo para explicar de forma mais aprofundada o que são e quais os tipos de telefones que se encaixam em cada uma das categorias.

Neste post, vou explicar o que realmente representa a denominação “smartphone de entrada”, mostrando as suas principais características.

Isso pode ajudar aos usuários mais leigos a investir melhor o seu dinheiro, evitando comprar um telefone apenas pensando no preço, mas sem atender as suas necessidades de uso.

 

 

 

O que é um smartphone de entrada?

 

Um smartphone de entrada ou de linha baixa é um telefone que possui especificações técnicas mais modestas, acabamento mais simples e, principalmente, preço muito mais competitivo.

E é justamente o preço o principal motivo para essa categoria existir.

A tecnologia não pode existir apenas para aqueles que podem (ou querem) pagar pelos produtos mais caros. Qualquer pessoa deve ter o direito de ter um dispositivo tecnológico para chamar de seu.

Nesse sentido, os smartphones de entrada são essenciais para democratizar a tecnologia em todos as classes sociais e idades, já que permitem que qualquer pessoa conte com um telefone com um orçamento relativamente reduzido.

Mas isso, na teoria. Um bom smartphone de entrada no Brasil custa quase o valor de um salário mínimo, e isso é um absurdo.

Além disso, smartphones de entrada podem ser muito bem vindos para aqueles usuários que não precisam ter um telefone top de linha, e só quer usar o dispositivo para aquelas tarefas mais básicas.

Por fim, para os fabricantes, esse segmento é muito importante para impulsionar as vendas nos mercados onde a renda per capta é menor, ou em países onde o cidadão possui condições financeiras mais restritas.

Além de ser uma interessante forma de promover e massificar algumas marcas.

 

 

 

Como identificar um smartphone de entrada?

 

Agora que você sabe por que os smartphones de entrada existem e são importantes para o mercado, chegou a hora de saber como detectar um dispositivo diante de tantos telefones disponíveis no mercado.

O principal fator a se levar em consideração é o preço do telefone.

No Brasil, as coisas são meio estranhas. Já vi fabricantes lançando smartphones de entrada com preço sugerido de R$ 1.799, o que particularmente acho isso ridículo.

Assim como também entendo que é bem estranho ver que o padrão de preço limite para um telefone de entrada subiu para R$ 1.500, quando muitos desses dispositivos custariam em um passado não muito distante abaixo de R$ 1.000.

Mas como a realidade é o que é e não aquilo que gostaríamos que fosse, o valor máximo de R$ 1.500 determina que aquele dispositivo está no grupo de telefones de entrada.

Outro fator que você deve analisar é o modelo de processador.

Na família de processadores MediaTek, os chips da linha Helio P podem ser considerados como pertencentes aos telefones de entrada.

Na família de processadores Qualcomm Snapdragon, aqueles que contam com numeração abaixo de 700 são chips de entrada.

Por fim, a capacidade de RAM e armazenamento é outro fator a ser considerado.

A grande maioria dos smarpthones de entrada atual contam com pelo menos 32 GB de armazenamento, mas existem muitos modelos que contam com 64 GB de espaço disponível.

No caso da RAM, o mínimo aceitável é contar com 3 GB de RAM, mas o recomendado é escolher um smartphone de entrada com pelo menos 4 GB de RAM para uma boa experiência de uso.


Compartilhe