O que fazer com o seu Google Drive após 1 de junho de 2021
TargetHD.net | Notícias, Dicas e Reviews de Tecnologia
Press "Enter" to skip to content
Wetten.com Brasil Apostas
Você está em | Home | Dicas, Truques e Macetes | O que fazer com o seu Google Drive após 1 de junho de 2021

O que fazer com o seu Google Drive após 1 de junho de 2021

Compartilhe

Em 1 de junho de 2021, o Google vai encerrar o armazenamento gratuito e ilimitado das imagens e vídeos enviados pelos usuários no Google Drive. Quem não aceitar pagar pelo armazenamento extra terá que se conformar com os 15 GB gratuitos para tudo o que tem salvo na nuvem, incluindo e-mails e documentos.

Muitos estão considerando pagar pelo armazenamento extra porque, afinal de contas, contam com a vida salva no Google. E nem todas essas pessoas aprenderam a manejar malabares virtuais. Mas há quem considere nesse momento buscar outras alternativas.

Por isso, vamos mostrar neste post o que efetivamente vai acontecer com o Google Drive depois de 1 de junho de 2021, e quais são as alternativas que restam para salvar os seus dados.

 

 

 

Depois de 1 de junho de 2021, vai acontecer isso…

Fotos e vídeos enviados para o Google Fotos vão compartilhar o espaço com e-mails e documentos salvos no Google Drive, e 15 GB de armazenamento na nuvem serão insuficientes para muita gente.

Uma das dicas que eu deixo desde já é que você comece a eliminar e-mails que são considerados inúteis, com anexos que, de uma forma ou de outra, acabam ocupando espaço de armazenamento no Google Drive.

Outra alternativa é eliminar documentos e fotos que não são mais úteis para a sua vida, para manter o seu espaço de armazenamento dentro dos 15 GB destinados para o seu espaço gratuito. Vale a pena considerar também armazenar alguns arquivos em outras plataformas de cloud, como o OneDrive e até o Mega, se a sua coragem deixar, é claro.

O Google afirma que 80% dos usuários do Google Drive vão estourar esse limite de 15 GB nos próximos anos, e até por isso determinou o fim do armazenamento ilimitado de fotos e vídeos. É uma excelente forma de ter um ativo financeiro sem fazer muito esforço.

Nesse caso, o melhor é fazer uma cópia de segurança de suas fotos e vídeos armazenados, salvando em um armazenamento interno ou em outro serviço na nuvem. A medida também é válida para os seus documentos e e-mails mais importantes. E tudo isso para não ultrapassar o limite gratuito e evitar problemas futuros.

Uma vez que você fez o backup de todos os dados considerados importantes, você tem três alternativas a adotar:

  • Seguir usando o Google Drive de graça, e se contentando com os 15 GB disponíveis.
  • Pagar pelo Google Drive, escolhendo um dos seus planos com maior capacidade de armazenamento.
  • Buscar uma outra alternativa (Amazon Fotos, Dropbox, OneDrive, Mega, etc).

 

Particularmente, optei pelo Google One com capacidade de armazenamento de 2 TB, pagando o plano anual no valor de R$ 350. Porque eu entro na lista do “tenho a minha vida no Google”. Mas isso vale para mim, e não para todo mundo.

Para quem não vai pagar pelo Google One, pode seguir usando o Google Drive de forma gratuita. Mas terá que passar a vida gerenciando o espaço de armazenamento e realizando backups em modo offline de qualquer maneira.

O próprio Google ajuda a estimar o quanto de espaço livre de armazenamento na nuvem você possui, e qual é o tempo estimado para superar esse limite. Ou seja, você tem todas as ferramentas para tomar a melhor decisão para você.


Compartilhe