O HTC Dream (ou T-Mobile G1) foi o primeiro smartphone Android a chegar no mercado, em 23 de setembro de 2018. Apesar do Android 1.0 não contar com muitos recursos, a primeira versão comercial do software da Google era muito robusta.

Várias das funcionalidades presentes nele nós utilizamos até hoje. 10 anos depois do lançamento do Android 1.0, vamos revisar o que usamos ao longo desse tempo, e nem percebemos.

 

 

O Android Market (hoje Google Play Store)

Sem loja de aplicativos não dá. Vários apps chegavam pré-instalados no Android 1.0, mas faltavam várias coisas que só estavam disponíveis em apps de terceiros.

O Android Market era o lugar seguro para os apps Android no HTC Dream. Mas não contava com muitos aplicativos. Na verdade, quando foi lançado, eram apenas 13 apps (todos de graça).

Quando a Android Market foi aberta para os demais desenvolvedores, o número de apps aumentou significativamente. Mesmo assim, no final de 2008, eram apenas 200 aplicativos na loja.

Em 2012, outras ofertas foram adicionadas, como a Google Music e o Google eBookstore. O esforço combinado resultou na Google Play que conhecemos hoje.

 

 

Sincronização

No passado, nossos contatos eram armazenados ou no SIM card ou no próprio telefone. Na troca de celular, bastava migrar o SIM card, ou digitar tudo de novo. Hoje, nossos contatos estão na nuvem, e tal recurso já estava disponível no Android 1.0.

Já era possível sincronizar contatos, e-mails e compromissos de agenda na primeira versão do Android. Além disso, a sincronização com apps de terceiros também estava disponível.

Pode parecer uma coisa pequena, mas só o trabalho de não ter que digitar todos os contatos de novo já vale e muito.

 

 

Organização de aplicativos

No iOS, tudo o que era instalado fica disponível na tela principal. No Android, desde a sua primeira versão, existe a gaveta de aplicativos.

Aqui, tudo é organizado por ordem alfabética ou de forma personalizada, para que o usuário escolha o que quer ver primeiro na lista de apps. As várias interfaces customizadas oferecem múltiplas alternativas.

 

 

Mensagens

O SMS e o MMS já existiam, mas o iPhone original ignorava os dois, já que só se tornou compatível com tais tecnologias em 2009 (iPhone 3GS, iOS 3.0).

Já o Android 1.0 contava com as duas funcionalidades. Isso colocou uma pressão considerável na Apple, em um tempo onde o SMS e o MMS eram muito populares para a comunicação rápida entre usuários.

 

 

Notificações

OK, qualquer sistema operacional tem notificações. Mesmo assim, apenas o Android contava com a barra de notificações e a barra de status, que trabalhavam em conjunto.

O Android foi o primeiro a mostrar todas as notificações com um simples movimento de dedo na tela, e isso perdura até hoje.