O que esperar da Fórmula 1 na Band?

Compartilhe

Depois de mais de 40 anos, a Fórmula 1 deixou a Rede Globo, e não dá para passar batido por essa mudança. Várias gerações foram moldadas a assistir o esporte através das narrações de Galvão Bueno, e tal tradição vai chegar ao fim… por enquanto.

Pelo menos em 2022, a Band vai transmitir o Mundial de Fórmula 1 nas suas diferentes plataformas (TV aberta, TV fechada, streaming de internet, etc), e as mudanças vão além de uma simples mudança de casa.

Muita coisa vai mudar a partir de agora, e é importante que as mudanças sejam explicadas para os fãs do esporte que estão um pouco perdidos com tudo o que aconteceu nas últimas semanas.

 

 

 

Por que a Rede Globo desistiu da Fórmula 1?

 

 

Porque ela não é mais lucrativa para o canal.

Apesar da grande audiência que a Fórmula 1 dava para a Rede Globo, o acordo com a Liberty Media se tornou insustentável. Não apenas porque era caro pagar pelos direitos de transmissão, mas também porque estava cada vez mais difícil cobrir as cotas de publicidade que justificassem tal investimento.

Toda empresa tem como objetivo final obter lucros, e a Fórmula 1 era muito mais um luxo do que um ativo lucrativo para a Rede Globo. Logo, é melhor abrir mão do produto e concentrar os investimentos em soluções mais lucrativas, como o futebol brasileiro e a plataforma de streaming Globoplay.

Além disso, a Rede Globo impedia que a Liberty Media lançasse no Brasil o F1 TV Pro, que vai entregar uma nova experiência de consumo da Fórmula 1 para os fãs do esporte. E esse é um ativo importante para os responsáveis pelos direitos de transmissão da categoria.

 

 

 

O que muda para o fã de Fórmula 1 no Brasil?

 

 

Na prática, a principal mudança é o canal que vai exibir o esporte no Brasil. Fora isso, a mecânica será muito parecida com aquela que a Rede Globo já adotava nos últimos anos para a transmissão da Fórmula 1 por aqui.

A Band já anunciou que vai transmitir em seu canal aberto apenas as corridas. Todos os treinos e demais atividades de pista serão exibidos no BandSports, seu canal esportivo na TV paga. Ou seja, nada de diferente do que a Rede Globo já fazia.

E aqui, entendo que não teremos prejuízos para a maioria dos fãs do esporte. A Band está disponível em todo o território nacional em diferentes plataformas, e o BandSports está presente nas principais operadoras de TV por assinatura do Brasil (SKY, Vivo, Claro NET, Oi, DirecTV GO, etc), e nos pacotes mais acessíveis ou segmentados.

Onde o fã de Fórmula 1 realmente começa a ganhar é na volta das transmissões da Fórmula 2 e Fórmula 3 no Brasil. As duas categorias de base ficaram de fora na última temporada por não contarem com nenhum contrato com qualquer canal de TV por aqui.

Além disso, vale a pena reforçar a já mencionada chegada do F1 TV Pro, que vai entregar uma nova experiência nas transmissões das corridas, permitindo que o fã do esporte se transforme em um autêntico diretor de TV, escolhendo as câmeras e obtendo informações exclusivas e detalhadas sobre tudo o que acontece na pista.

Do mais, os fãs de Fórmula 1 não devem sentir tantas mudanças na cobertura das corridas. Afinal de contas, Reginaldo Leme já está confirmado nos comentários, e Mariana Becker fará as reportagens. Logo, sabemos bem o que esperar neste aspecto.

E agradeço a Deus por não ter o Datena narrando e o Craque Neto comentando.

 

 

 

Conclusão

 

Quando a Fórmula 1 voltar, ela vai estar em nova casa no Brasil. E é melhor a gente se acostumar a ter outro canal transmitindo as corridas por aqui.

Entendo que a Band está fazendo um grande investimento para oferecer uma boa cobertura da categoria por aqui. Não é exatamente o mundo perfeito (pois o canal poderia transmitir pelo menos parte dos eventos do final de semana das corridas na TV aberta), mas é melhor do que ter a Fórmula 1 exclusiva na TV paga ou escondida em algum outro canal sem muito alcance no território nacional.

Vamos conferir de perto e com muita curiosidade o que vai acontecer nessa nova fase da transmissão da Fórmula 1 no Brasil.

 

 

Via Grande Prêmio, UOL


Compartilhe