Compartilhe

Os tempos de glória do notebook já passaram, mas a Intel trabalha para mudar as regras do jogo com um dos seus projetos mais ambiciosos: o Projeto Athena. Mas… o que é esse projeto?

 

 

O que é o Projeto Athena da Intel?

Em palavras simples, o Projeto Athena é um programa que quer criar um índice de requisitos específicos que garantem que o laptop que você está comprando vai oferecer tudo o que você precisa para trabalhar, estudar, uso doméstico ou jogos em uma rotina diária.

A Intel não trabalha sozinha nesse projeto: ela quer sincronizar mais de 100 empresas para criar o índice de especificações do produto final (no caso, o notebook) que vai chegar aos usuários.

 

 

O índice é composto por:

– Sistemas baseados em processadores Intel (óbvio), com tecnologia Intel Dynamic Tuning, duplo canal DRAM de 8 GB e SSD NVMe de 256 GB com opções de memória Intel Optane H10.

– O notebook precisa reagir de imediato quando você abrir a tampa, pressionar um botão ou com desbloqueio biométrico.

– Terão serviços de voz de campo distante e serão compatíveis com OpenVINO e WinML. Vão aproveitar as capacidades de Deep Learning incluídas na décima geração de processadores.

– Contarão com recarga rápida via USB-C, além de otimização e integração de componentes de baixo consumo.

– Intel WiFi 6 (GIG+) e conectividade LTE.

– Permitirá a oferta de tela touch, touchpad e mais equipamentos 2 em 1 (laptops, tablets, etc) leves e menores.

 

Apenas equipamentos e empresas que cumprem com esses requisitos vão receber o selo “Engineered for Mobile Performance”. Dell e HP já contam com equipamentos com esse selo de autenticidade, e na próxima semana vamos conhecer as novidades de outras empresas do setor com essa certificação.

Pelo menos nesse momento inicial, a Intel vai conseguir o que nunca fez ao longo dos anos. Mas será que um adesivo é o suficiente para ressuscitar o mercado de notebooks?


Compartilhe