Compartilhe

A GSMA, órgão responsável pela Mobile World Congress 2020, anunciou medidas de segurança adicionais para garantir a realização do evento, mesmo com a crise do coronavírus. As medidas foram anunciadas depois que a LG confirmou que não vai comparecer ao evento em Barcelona (Espanha).

Em linhas gerais, as medidas e recomendações da GSMA estão em sintonia com aquelas anunciadas pela Organização Mundial de Saúde.

 

 

Nada de aperto de mãos na MWC 2020

 

 

As medidas a seguir estão disponíveis no site da GSMA, e podem ser acessadas por este link. A saber:

1) Aumento do programa de limpeza e desinfecção em todos os pontos de contato de tráfego elevado, por exemplo, áreas de restaurantes, superfícies, corrimãos, sanitários, entradas e saídas, telas sensíveis ao toque públicas, etc., além da utilização de materiais e produtos de limpeza e desinfecção adequados.

2) Aumento do apoio médico no local.

3) Campanha de sensibilização através de informação e sinalização online e no site.

4) Disponibilidade de materiais de limpeza e desinfecção para uso público.

5) Sensibilização e formação de todo o pessoal e parceiros sobre medidas preventivas pessoais padrão, por exemplo, higiene pessoal, frequência de utilização de produtos de saneamento/desinfecção, etc.

6) Aconselhamento aos expositores sobre a implementação de medidas eficazes de limpeza e desinfecção dos stands e escritórios, juntamente com orientações sobre medidas de higiene pessoal e comportamentos preventivos comuns.

7) Comunicação de orientações de saúde pública e aconselhamento a hotéis em Barcelona, transportes públicos e privados, restaurantes e pontos de alimentação, comércio em lojas, etc.

8) Instalação de novos cartazes no site, lembrando aos participantes as recomendações de higiene.

9) Aplicação de um protocolo de comutação de microfone na produção de conferências.

10) Comunicar o conselho a todos os participantes para que adotem uma “política de não aperto de mãos”.

 

São medidas muito focadas na prevenção, já que vai ter muita gente em espaços relativamente pequenos, com pessoas de diferentes partes do planeta.

A GSMA comunicou que também vai introduzir placas para que os presentes não se esqueçam das recomendações. Por outro lado, os apertos de mão são mais comuns, e a ausência de informações exatas em como o coronavírus se transmite força a situação em evitar o contato físico ao máximo, e a medida parece sensata.

 

 

Não sabemos qual é a ciência exata de transmissão do vírus, mas assume-se que o contágio acontece com o contato com animais infectados ou com contato próximo com as secreções respiratórias geradas ou a tosse ou espirro de uma pessoa doente.

Precisamente por causa disso, a Organização Mundial de Saúde recomenda o seguinte:

 

1) Lave as suas mãos frequentemente com um anti-séptico à base de álcool ou água e sabão;

2) Ao tossir ou espirrar, cubra a boca e o nariz com o cotovelo dobrado ou um lenço de papel – jogue o lenço imediatamente fora e lave as mãos;

3) Evitar o contato físico com qualquer pessoa que tenha febre e tosse;

4) Se tiver febre, tosse e falta de ar, procure atendimento médico o mais rápido possível e informe seu médico sobre qualquer viagem anterior;

5) Se você visitar mercados de animais vivos em áreas onde foram relatados novos casos de coronavírus, evite o contato direto sem proteção com animais vivos e superfícies em contato com tais animais;

6) Evitar o consumo de produtos animais crus ou mal cozinhados. A carne crua, leite ou vísceras de animais devem ser manuseadas cuidadosamente para evitar a contaminação cruzada com alimentos não cozidos, de acordo com as boas práticas de segurança alimentar.

 

Dito tudo isso, a GSMA afirma que está tomando “fortes medidas para conter e reduzir a propagação do vírus”, incluindo a adesão das recomendações da GSMA, em respeito às restrições de viagem onde elas existem e a chegada antecipada à Espanha para dar tempo para realizar a quarentena voluntária e a garantia de acesso às máscaras de proteção.

E tudo isso ainda não dá qualquer tipo de garantias que a Mobile World Congress 2020 vai realmente acontecer.


Compartilhe