Youtubers, preparem-se! A partir do dia 25 de fevereiro, o YouTube implementa as suas novas regras de strikes (punições que podem resultar na exclusão de um canal na plataforma de vídeos). E, de acordo com as novas regras, após o terceiro strike, o usuário terá a sua conta banida para sempre da plataforma.

Quanto mais youtubers registrados, mais polêmicas a plataforma recebe. E o Google precisa tomar medidas mais drásticas para tentar controlar a situação e segurar a onda dos mais inconsequentes.

Uma das mais interessantes novidades é que, a partir de agora, todos os criadores de conteúdo são iguais diante dos olhos do YouTube. Não importa o tamanho do seu canal: três strikes são três strikes, e depois disso, é fim de canal para qualquer pessoa.

Tecnicamente, as contas serão banidas mesmo depois do quarto aviso. Na primeira vez que o usuário infringir as regras, ele vai apenas receber uma notificação, e o conteúdo será removido do YouTube, mas a conta não sofre qualquer sanção.

O YouTube está mais rigoroso e suas regras ficaram mais claras, ao mesmo tempo que não mais permitem as disputas sobre uma punição uma vez que tais regras já entraram em vigor:

– O primeiro aviso resulta no bloqueio do canal por uma semana, onde não é possível publicar novos conteúdos ou realizar streaming ao vivo.
– Se em até 90 dias o mesmo canal receber o segundo aviso, o bloqueio será de duas semanas.
– Se uma nova infração acontecer em até 90 dias, o terceiro strike é emitido, e esse não é categorizado como um aviso, mas sim o indicador que o YouTube vai eliminar o canal de forma permanente.

 

Ainda que o sistema de três strikes já estivessem em vigor, as punições eram muito diversificadas. Diferentes tipos de infração resultava em punições diferentes. Agora, o YouTube coloca todos no mesmo grupo.

Uma das grandes reclamações por parte dos criadores de conteúdo era a falta de transparência quanto aos motivos que geravam os strikes. O YouTube promete aumentar essa transparência sobre os motivos da punição, mas também prometem melhorar a plataforma para apoiar melhor os youtubers.

Para o YouTube, essa é a melhor maneira de manter o controle na violação de suas regras, além de ser justos com todos os criadores de conteúdo. 98% dos usuários não violam as regras, e 94% daqueles que recebem o primeiro strike nunca recebem o segundo.