Isso está acontecendo. Muitos canais de vídeos do YouTube que são considerados populares são frutos de serviços de vendas de visualizações falsas.

O vale tudo pelos likes e visualizações fazem com que as métricas sirvam de referência para ditar o sucesso ou fracasso de um canal de vídeo ou youtuber. O problema é que, para gerar audiência, é preciso esforço, dedicação e tempo. E nem todos estão dispostos a investir esses três elementos.

Vários serviços vendem visualizações. Você informa quantos views quer comprar para que o vídeo do YouTube passe a receber do nada visualizações de forma exponencial.

É um negócio milionário para quem vende esses views, que são produzidos por sistemas automatizados. Algumas pessoas por trás desses sites ganham milhares de dólares por mês para fornecer as visualizações e likes falsos. E isso não deve acabar tão cedo.

 

 

Para quem compra os views, na prática, vira o novo milionário do Banco Imobiliário. 200 mil visualizações podem custar US$ 750, e muita gente acredita que isso é o suficiente para o sucesso, mas é só o número de visualizações, que não necessariamente se transformam em assinantes reais do canal.

Por outro lado, não falta gente querendo comprar likes e views, e eles podem ser detectados pela existência (ou não) de uma comunidade de seguidores que revela a real atividade em torno de um canal.

Para quem realmente está interessado em tal prática, saiba que 1 milhão de visualizações no YouTube custam hoje US$ 3.500, e você pode receber até 5 mil likes na promoção.

 

Via NYT